Mercado fechará em 4 h 8 min

Bloqueio golpista atrapalha volta para casa na Raposo Tavares

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um grupo de cerca de 50 golpistas defensores do presidente Jair Bolsonaro (PL), que perdeu as eleições no último domingo (30), chegou a fechar um dos lados da rodovia Raposo Tavares, no km 21, na entrada do Rodoanel nesta segunda (1º). Por volta das 19h, após negociação com a Polícia Militar, eles liberaram a faixa e se concentravam no canto da pista no sentido São Paulo.

Segurando bandeiras, eles entoavam gritos de protesto, como "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão" e "não vai assumir". Também queimaram pneus. Os motoristas que passavam pelo local se dividiam entre buzinas de apoio e gritos raivosos, como "vai trabalhar, vagabundo" e "perderam".

A manifestação começou por volta das 17h. O bloqueio prejudicou ainda mais o trânsito na região, já que se deu durante o horário de pico. Uma viagem do centro da capital paulista até o local (que normalmente duraria 40 minutos) era feita em duas horas.

Tentando chegar ao trabalho, o motorista Ari Santos, 45, reclamou da lentidão. "Não era esse pessoal que dizia que só fazia protesto no fim de semana? A gente precisa trabalhar."

Enrolado em bandeiras do Brasil, o grupo era observado de perto por um efetivo de seis viaturas da PM e da GCM (Guarda Civil Metropolitana). Funcionários de um hipermercado da região relataram preocupação com a chegada dos clientes no fim da noite.

Um dos manifestantes chegou a pedir que a jornalistas de emissoras de TV que mostrassem que a manifestação é pacífica. Também disse que a mídia precisa "parar de contar mentiras."