Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,48
    +0,26 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.816,70
    +1,50 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    16.963,83
    -172,98 (-1,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.039,50
    -23,25 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4726
    +0,0761 (+1,41%)
     

Bloqueio de caminhoneiros bolsonaristas completa 24h; veja lista de estados

Bloqueio de caminhoneiros bolsonaristas completa 24h. (AP Photo/Rodrigues Da Silva)
Bloqueio de caminhoneiros bolsonaristas completa 24h. (AP Photo/Rodrigues Da Silva)

Já completam 24h da paralisação de caminhoneiros em vários estados do Brasil. Apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) fecharam total ou parcialmente centenas de rodovias estaduais e federais a partir da noite de domingo (30), após a derrota de Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial para Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) registrou nesta segunda (31), até o início da noite, 236 pontos de bloqueios ou aglomerações em vias de 20 estados e do Distrito Federal.

De acordo com a PRF, as interdições ocorrem nos seguintes estados:

  • Acre - 3 interdições

  • Alagoas - 2 interdições

  • Amazonas - 3 interdições

  • Ceará - 1 interdição

  • Espírito Santo - 7 interdições

  • Goiás - 10 interdições

  • Maranhão - 2 interdições

  • Mato Grosso - 17 interdições

  • Mato Grosso do Sul - 32 interdições

  • Minas Gerais - 2 interdições

  • Pará - 17 interdições

  • Paraná - 20 interdições

  • Rio de Janeiro - 9 interdições

  • Rio Grande do Norte - 2 interdições

  • Rio Grande do Sul - 39 interdições

  • Rondônia - 17 interdições

  • Roraima - 2 interdições

  • Santa Catarina - 42 interdições

  • São Paulo - 7 interdições

  • Tocantins - 1 interdição

“A PRF encontra-se em todos os locais identificados com efetivo mobilizado nos pontos de bloqueio e permanece trabalhando pelo fluxo livre nas rodovias federais, viabilizando-se o escoamento da produção, assim como o direito de ir e vir dos cidadãos, além de seguir monitorando os locais com alta probabilidade de interdição”, diz em nota.

Na noite desta segunda (31), o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Alexandre de Moraes, determinou que a PRF e as polícias militares dos estados tomem ações imediatas para liberação de vias ocupadas por caminhoneiros bolsonaristas.

A decisão de Moraes, dada na noite desta segunda-feira (31), ordena ainda a prisão imediata do diretor-geral da PRF, Silvinei Vasques, em caso de omissão e inércio da PRF em não adotar nenhuma providência para liberação das rodovias, além de multa de R$ 100 mil por hora pelo crime de desobediência.

"Que sejam imediatamente tomadas, pela Polícia Rodoviária Federal e pelas respectivas polícias militares estaduais – no âmbito de suas atribuições – , todas as medidas necessárias e suficientes, a critério das autoridades responsáveis do poder executivo federal e dos poderes executivos estaduais, para a imediata desobstrução de todas as vias públicas que, ilicitamente, estejam com seu trânsito interrompido", escreveu Moraes, atendendo a um pedido da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) e do vice-procurador geral eleitoral.

Lideranças discordam

Nereu Crispim, deputado federal (PSD-RS e presidente da frente parlamentar mista em defesa dos caminhoneiros autônomos e celetistas, disse nesta segunda-feira (31) que o ato de fechar estradas pelo país é ‘ideológico e não representa a categoria’.

Crispim também apontou como responsáveis pelas paralisações que acontecem desde ontem nas estradas são "pessoas ideológicas de extrema-direita" e disse que a frente parlamentar dos caminhoneiros enviou um ofício para a PRF (Polícia Rodoviária Federal) pedindo que o direito de trabalhar dos caminhoneiros seja garantido.

Outro líder da greve de caminhoneiros em 2018, o motorista Wallace Landim (Chorão) declarou que é contra os bloqueios que a categoria vem organizando nas estradas desde o domingo (30). A reação dos trabalhadores é a respeito da vitória do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Esse momento de parar o país vai prejudicar muito a economia", disse o presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores.