Mercado abrirá em 4 h 55 min

Blogueirinho aos 87, Ary Fontoura defende o isolamento social: "É a única arma que temos"

O ator tem feito sucesso nas redes sociais (Foto: Reprodução/Globo/Instagram/@aryfontoura)

Ary Fontoura, 87, ganhou 1 milhão de seguidores na manhã desta quarta-feira (24). O ator chamou atenção nas redes sociais depois que fez uma participação inesperada no ‘Bom Dia São Paulo’.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

Na ocasião, Fontoura falou que seu interesse pela internet cresceu bastante durante a pandemia. Rodrigo Bocardi e Sabina Simonato anunciaram a participação do veterano com sua famosa frase “tudo que era velho ficou novo, menos eu”.

Leia também

Bem-humorado, Ary agradeceu pelo convite e explicou que começou a postar fotos no Instagram para estar em evidência, mas não esperava agradar tantas pessoas. “Quando veio o isolamento, decidi fotografar meu dia a dia. Fui lavando roupa, passando ferro, fazendo comida. Todos os afazeres domésticos necessários para uma pessoa que fica sozinha”, conta ele.

O retorno foi rápido. Muitas pessoas entraram na brincadeira e passaram a imitá-lo. A repercussão dos posts fizeram o ator entender que ser influenciador exige muita responsabilidade. É por isso mesmo que Ary Fontoura bate tanto na tecla sobre a importância do isolamento social.

“Não é uma gripezinha, uma brincadeira. É uma coisa muito séria. O isolamento é a única arma que temos. Sei que não são todos que podem, mas ficar em casa já é uma grande contribuição, usar máscara, fazer a higienização das mãos. Isso tudo é importante para vencermos esse vírus”, defende.

Para ele, o segredo do engajamento está em se mostrar como realmente é. “As pessoas sempre acham que os atores são intransponíveis porque se faz muita fantasia em torno da vida da gente. Quando elas descobrem que somos pessoas comuns, iguais a todo mundo, elas se surpreendem”, explica o artista.

A entrevista repercutiu nas redes sociais: