Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.492,79
    +2.961,34 (+6,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Blau Farmacêutica busca IPO para financiar crescimento na América Latina

·1 minuto de leitura

(Reuters) - A fornecedora de medicamentos para tratamentos complexos Blau Farmacêutica pediu nesta sexta-feira aval para sua oferta inicial de ações (IPO), em busca de recursos para expansão na América Latina, ampliando a fila de empresas de saúde rumo à bolsa, na esteira dos efeitos da pandemia da Covid-19.

Com sede em Cotia (SP), a companhia especializada em produtos para tratamento de câncer e doenças sanguíneas e dos rins tem cinco fábricas no Brasil e 5 subsidiárias na América Latina, incluindo Argentina, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai.

A companhia informou no prospecto preliminar da oferta que pretende usar os recursos com a venda de ações novas para expansão de suas fábrica, investir em centros de coleta de plasma nos Estados Unidos, acelerar investimentos em pesquisa e desenvolvimento, expansão na América Latina e pagar dívidas.

A operação, que será coordenada por Itaú BBA, Bradesco BBI, BTG Pactual, XP, JPMorgan e Citi, também servirá para que o único acionista da empresa, Marcelo Hahn, venda uma participação no negócio.

O anúncio acontece dois dias após a distribuidora de produtos médicos Viveo também pedir registro para IPO. Além da Rede D'or de hospitais, estrearam na B3 no ano passado a D1000 Varejo Farma. A rede de drogarias Nissei aguarda aval da Comissão de Valores Mobiliários para seguir com seu IPO.

(Reportagem de Aluísio Alves)