Mercado abrirá em 8 h 32 min
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,15
    -0,13 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.828,70
    -7,40 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    57.693,41
    +2.290,36 (+4,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.559,25
    +1.316,57 (+542,52%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    27.910,60
    -103,21 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    28.050,93
    -557,66 (-1,95%)
     
  • NASDAQ

    13.210,75
    -135,25 (-1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3360
    -0,0094 (-0,15%)
     

Blackstone aposta em aluguéis na Ásia com millennials

Elffie Chew
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Blackstone Group espera que a demanda por apartamentos residenciais seja resiliente em algumas partes da Ásia, já que a geração dos millennials está alugando imóveis para morar em vez de comprá-los.

Os mercados imobiliários nas principais cidades da Austrália, China e Japão estão crescendo, impulsionados pelas baixas taxas de juros e pela melhora da confiança entre os investidores, que acreditam que o pior da pandemia provavelmente já passou. As taxas de retenção e renovação de apartamentos têm superado as expectativas, segundo Alan Miyasaki, chefe de aquisições imobiliárias do Blackstone na Ásia.

“Somos grandes fãs de residências multifamiliares”, disse ele em entrevista na semana passada, referindo-se a prédios de apartamentos. “Na Ásia, em termos de estoques existentes, temos muitos no Japão, mas estamos vendo mercados emergirem em lugares como Austrália e China, e estamos passando um tempo lá.”

Os altos preços dos imóveis nas principais cidades asiáticas também dificultaram a aquisição de casa própria para as gerações mais jovens, aumentando a demanda por apartamentos para alugar. Por exemplo, a escalada nos preços dos imóveis na China na última década tornou mercados como Shenzhen menos acessíveis do que Londres.

Além dos apartamentos, o Blackstone continua a se concentrar nas oportunidades de propriedades comerciais vinculadas aos setores de tecnologia, logística e ciências biológicas na Ásia, especialmente na Índia, de acordo com Miyasaki. A empresa de private equity já é a maior proprietária de imóveis comerciais do país, com cerca de US$ 9 bilhões investidos em escritórios, shoppings e hotéis.

Na China, a empresa de aquisições com sede em Nova York concluiu a aquisição de uma participação majoritária em um parque logístico urbano de Guangzhou, o maior na área da Grande Baía, por US$ 1,1 bilhão no início deste ano. No mês passado, Blackstone anunciou a compra do Sandcrawler, um prédio de escritórios de oito andares em Cingapura cujo design foi inspirado nos filmes Star Wars.

Embora o Blackstone tenha firmado um acordo em abril para vender um portfólio de armazéns e propriedades logísticas na Austrália por cerca de US$ 2,9 bilhões, Miyasaki disse que continuará a investir em ativos semelhantes, bem como em propriedades de alta qualidade que proporcionem retornos sólidos.

Blackstone tem oito escritórios na Ásia, e o executivo cuja base fica em Singapura apontou a presença da empresa em toda a região como uma vantagem em termos de oportunidades de reconhecimento durante a pandemia. Com o fechamento das fronteiras da Austrália, por exemplo, Miyasaki confiou em sua equipe da região para a perspectiva local.

“A Covid expôs uma série de problemas”, disse Miyasaki. “Sempre pensamos que ter pessoas no local era importante, mas durante a Covid isso se tornou absolutamente crítico.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.