Mercado abrirá em 6 h 4 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.873,80
    +7,30 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    34.545,05
    -117,56 (-0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    683,34
    -17,27 (-2,47%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.995,87
    +353,59 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    28.717,25
    +83,79 (+0,29%)
     
  • NASDAQ

    13.374,50
    +80,25 (+0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

BlackRock rema contra maré e se mantém firme em Nova York

Annie Massa
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Um número crescente de empresas de Wall Street tem planos de transferir funcionários de Nova York para centros mais baratos nos Estados Unidos e até mesmo permitir que os talentos trabalhem de casas distantes, mas a BlackRock se mantém firme em Manhattan.

Nos bastidores, executivos da maior gestora de ativos do mundo pediram aos funcionários que não se acostumem muito a trabalhar remotamente em tempo integral, enquanto a empresa espera a mudança para uma nova torre de escritórios em Nova York, onde tem sua sede. Com o avanço da pandemia nos EUA, a gestora estendeu o período de trabalho remoto até o primeiro trimestre deste ano. Mas esse não será o novo normal.

“O escritório continuará sendo nosso principal local de trabalho a longo prazo”, disseram executivos do alto escalão, incluindo o diretor de Operações, Rob Goldstein, em memorando enviado à equipe em novembro. “Os funcionários terão maior flexibilidade para trabalhar remotamente em meio período, mas o trabalho remoto em período integral será feito de forma muito seletiva e com aprovação.”

Retornar aos escritórios em uma escala mais ampla levará tempo, escreveram, e a empresa trabalha para disponibilizar testes regulares de Covid-19 para o maior número de “possível”.

A BlackRock ainda planeja transferir sua equipe de Nova York para o 50 Hudson Yards, um novo arranha-céu no lado oeste de Manhattan, no final de 2022 ou início de 2023, confirmou um porta-voz nesta semana. A mudança, anunciada pela primeira vez em 2016, veio com um incentivo lucrativo: a BlackRock conseguiu US$ 25 milhões em créditos fiscais estaduais para criar centenas de novos empregos e manter os funcionários na região.

Esses compromissos com Nova York, o tradicional centro da indústria de títulos e investimentos dos Estados Unidos, pareceriam comuns em um ano normal. Mas, nos últimos meses, um fluxo constante de empresas financeiras tem anunciado planos para locais alternativos.

O Goldman Sachs avalia transferir parte de sua divisão de gestão de ativos para a Flórida, enquanto a Virtu Financial, uma firma de trading de alta velocidade, também está transferindo funcionários para esse estado, enquanto reduz seu espaço de escritórios em Manhattan em 75%. E o banco de investimento Moelis & Co. agora permite que seus talentos trabalhem em cidades de sua escolha.

A BlackRock tem cerca de 16.600 funcionários ao redor do mundo. A empresa está aumentando sua presença fora de Nova York, inclusive em Atlanta, onde tem planos de empregar cerca de 1.000 pessoas até 2024.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.