Mercado abrirá em 1 h 8 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,23
    +1,05 (+1,74%)
     
  • OURO

    1.744,70
    -2,90 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    64.687,53
    +2.006,30 (+3,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.396,65
    +102,66 (+7,93%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.919,34
    +28,85 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.020,50
    +44,75 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8357
    +0,0045 (+0,07%)
     

BlackRock prioriza reuniões presenciais após Covid

Annie Massa
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O CEO da BlackRock, Larry Fink, disse que o que ele mais espera no mundo pós-pandemia é se reunir com os clientes novamente à medida que a campanha de vacinação dos Estados Unidos continua e as empresas avaliam como retornar ao trabalho presencial.

Em carta anual aos acionistas nesta quarta-feira, Fink disse que não há substituto para as reuniões presenciais. Em outra ocasião, o CEO afirmou que teme que a cultura corporativa possa se desgastar com o tempo enquanto o trabalho ocorre de forma remota.

“Sinto falta das conexões pessoais e das ideias inesperadas que surgem ao nos encontrarmos cara a cara e compartilharmos uma refeição”, disse Fink. “Muitas vezes, é por meio de uma conversa menos estruturada do que em uma videochamada que aprendemos mais uns sobre os outros e vivenciamos aspectos intangíveis, como a cultura, que são difíceis de ver através de uma tela.”

Mais de um ano após a pandemia de Covid-19, empresas financeiras globais como a BlackRock estão decidindo como trazer os funcionários de volta ao ambiente de trabalho com segurança. No ano passado, os executivos da BlackRock sinalizaram que o escritório continuará sendo o local de trabalho principal para os funcionários a longo prazo, e que a permissão para trabalhar remotamente em tempo integral será concedida de forma seletiva.

Veja também: CEO do JPMorgan diz que ‘boom’ nos EUA pode durar até 2023

Outros pontos que Fink mencionou em sua carta anual incluem:

Esforços da empresa para melhorar as práticas de diversidade e inclusão, após uma série de questões, foram criados com base na cultura empresarial: “Sei que nossa cultura não é perfeita”, escreveu Fink. “Em alguns casos, certos funcionários não seguiram os padrões da BlackRock. Eu deixei claro para os funcionários que queremos saber quando isso acontecer, e que esses indivíduos não têm um lugar na BlackRock.”BlackRock quer emissões líquidas zero em todos os ativos do sua carteira até 2050. Para tanto, uniu-se a Net Zero Asset Managers Initiative, um grupo focado em reduzir para zero as emissões líquidas de gases de efeito estufa entre as empresas do portfólio.

Leia mais: BlackRock rema contra maré e se mantém firme em Nova York

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.