Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,41
    +0,19 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.817,40
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    16.969,54
    -141,50 (-0,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.036,50
    -5,75 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4648
    +0,0683 (+1,27%)
     

Black Friday tem mais promoções das 23h de quinta à 1h de sexta

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 26.11.2022 - Movimentação de consumidores na loja Americanas, no centro de São Paulo, durante a Black Friday. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 26.11.2022 - Movimentação de consumidores na loja Americanas, no centro de São Paulo, durante a Black Friday. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Apesar do nome, as promoções da Black Friday não acontecem somente nesta sexta-feira (25). Nas edições anteriores, o evento mais importante para o varejo teve um pico de ofertas entre as 23h da quinta anterior e 1h da sexta, segundo estudo da Promobit.

A plataforma especializada em descontos aponta que, na média dos três últimos anos, o número de ofertas começou a crescer a partir das 16h da véspera nas principais varejistas do país.

A média do número de descontos publicados por hora alcançou um pico de 209 às 23h da quinta, caiu para 195 à meia-noite de sexta e para 127 à 1h.

Além da madrugada anterior, os melhores períodos para comprar no dia da Black Friday são às 11h, às 14h e às 15h, quando foram publicados 156, 134 e 136 descontos por hora.

Neste ano, a quinta-feira que antecede a Black Friday coincide com a estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo. Para Gabriel Alves, diretor de vendas e marketing da Promobit, o evento esportivo não vai afetar a dinâmica da Black Friday.

"Após os jogos, a expectativa de acordo com nossos dados é que o fluxo de pessoas comprando volte quase que instantaneamente e a disputa pelas boas promoções fique mais acirrada", disse.

Contudo, dependendo da categoria de produtos que o consumidor estiver buscando, o período entre as 23h de quinta e a 1h de sexta pode não ser o mais favorável para encontrar uma boa oferta.

Por exemplo, o pico de oferta de roupas ou calçados deve ocorrer às 21h da quinta. O mesmo horário também vale para consumidores que buscam uma TV para assistir aos jogos do Brasil.

Já as promoções de celular começam a aparecer às 8h de quinta e atingem um pico na madrugada de sexta. A escalada começa às 21h da véspera e só começa a decrescer a partir da 1h da Black Friday.