Mercado fechará em 1 h 1 min
  • BOVESPA

    111.716,64
    +2.934,49 (+2,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.377,35
    -703,98 (-1,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,92
    +0,68 (+0,88%)
     
  • OURO

    1.764,70
    +9,40 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    16.391,21
    +167,88 (+1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    387,05
    -1,68 (-0,43%)
     
  • S&P500

    3.953,60
    -10,34 (-0,26%)
     
  • DOW JONES

    33.803,60
    -45,86 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.542,50
    -73,75 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4800
    -0,0692 (-1,25%)
     

Black Friday | Novo recurso ITP pode ser chave para o sucesso de lojistas

As projeções para a Black Friday de 2022 são muito animadoras. O e-commerce deve crescer 8% na edição deste ano, segundo uma pesquisa realizada pela Conversion, plataforma de SEO. Um novo recurso promete favorecer ainda mais o comércio eletrônico, facilitando o pagamento com PIX sem que o consumidor precise sair da página do site: o Iniciador de Transação de Pagamento (ITP).

Para Adriane Rêgo, diretora de Negócios da RTM — hub integrador do mercado financeiro, a Black Friday é intensa em volume e, acelerar o processo, aumenta o número de transações concluídas. "Sem ITP, a pessoa tem que pausar a jornada no e-commerce, ir pro app do banco, enviar o PIX e voltar pra compra pra concluir. Com ITP ele faz tudo sem sair do app ou site de e-commerce", destaca.

O Iniciador de Transação de Pagamento (ITP) foi autorizado pelo Banco Central em 2021 e deve auxiliar no aumento da taxa de conversão das lojas online e marketplaces, devido à praticidade de concluir a compra — resultando na diminuição do número de carrinhos abandonados.

O ITP dispensa a necessidade de abrir o aplicativo do banco para realizar uma compra pelo PIX (Imagem: Reprodução/Agência Brasil)
O ITP dispensa a necessidade de abrir o aplicativo do banco para realizar uma compra pelo PIX (Imagem: Reprodução/Agência Brasil)

Como aderir ao ITP?

As instituições financeiras que desejam aderir ao novo recurso devem cumprir algumas exigências do Banco Central. Em seguida, precisam buscar por soluções tecnológicas adequadas. Segundo Adriane, a RTM oferece a plataforma Data Pull Open Finance que, em parceria com a Lina Infratech, possibilita o consumo e gestão inteligente dos dados, com as certificações necessárias para esta operação. "Uma das funcionalidades do Data Pull permite às instituições atuarem como ITP e se beneficiarem desta modalidade", diz a diretora.

Como o ITP funciona?

O Open Finance é um ecossistema aberto de dados para diferentes empresas bancárias e fintechs trocarem dados de seus produtos financeiros entre si. O processo é realizado de maneira segura e alinhada com à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e faz parte da transformação digital do setor bancário brasileiro.

As operações do Open Finance são executadas através de Interfaces de Programação de Aplicações (APIs), com padrões de comunicação e segurança, ambientes de teste e homologação, e as Certificações FAPI e CIBA, providas pela OpenID. Ao solicitar a forma de pagamento via ITP, será realizada a verificação das credenciais e critérios de acesso, autenticação e consentimento para o pagamento no ambiente da instituição.

Segundo a RTM, o início do processo, a interação com o ambiente de outra instituição financeira e as validações são operadas pelas APIs, sendo necessário um gateway robusto, confiável e seguro para operar como iniciadora.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: