Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.034,00
    +123,33 (+0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Black Friday | Como é possível antecipar falhas nos sistemas de e-commerce?

Estimativas para a Black Friday de 2022 são otimistas, com grande intenção de compra por parte do público. Dados de um levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) projetam que o evento deve movimentar R$ 6,05 bilhões no e-commerce, com cerca de 8,3 milhões de pedidos — um aumento de 3,5% em relação ao ano passado. Lojistas devem se preparar para enfrentar a alta demanda sem dificuldades.

Com o aumento do interesse do público neste ano, uma pesquisa da Conversion aponta que o e-commerce deve crescer 8% na edição de 2022. Apesar de as previsões serem positivas, elas também significam que os comerciantes deverão ter mais preocupação em oferecer um serviço de qualidade, evitando situações, como: dificuldade de acesso aos sistemas, problemas com pagamento e envios de confirmação, páginas fora do ar, dentre outros contratempos.

Durante o evento em 2021, uma falha de processamento do site das Casas Bahia apresentou produtos com valores muito abaixo do mercado e a empresa precisou cancelar as compras dos consumidores. Consumidores denunciaram o marketplace, notificado pela Justiça. O cofundador da startup Run2biz, Emauri Gaspar, comenta sobre como a tecnologia pode reduzir obstáculos e panes durante eventos críticos, como a Black Friday.

O impacto da Inteligência Artificial no e-commerce

Para evitar perdas monetárias, dados vazados, clientes insatisfeitos e problemas com órgão de Defesa do Consumidor, Gaspar apresenta as soluções de Inteligência Artificial para Operações de TI (AIOps). Através de sua alta capacidade de consumir e tratar grandes volumes de dados de diferentes fontes em tempo real, as AIOps conseguem realizar predições, gerar alertas e prevenir futuros transtornos — graças ao minucioso mapeamento de ameaças e falhas.

"A qualquer comportamento sensível que sai do normal, o sistema gera um alerta para a equipe, baseado em inteligência artificial, reduzindo drasticamente a chance de erros ou equívocos em qualquer operação. Então, por mais que haja um problema, as empresas que se preocupam com o fator antecipação, conseguem resolvê-lo a tempo do efeito de bola de neve, que começa com um estado inicial de uma pequena ação e vai aumentando baseado nessa ação, tornando-se maior (mais e mais grave), até tornar-se potencialmente perigoso ou desastroso", explica o co-fundador da Run2biz.

Visando tornar o trabalho humano mais prático e inteligente, as tecnologias AIOps proporcionam uma visão analítica dos sistemas, seja de rede, aplicações ou armazenamento, tanto físico quanto em nuvem. “É o instrumento mais habilitado a prever apagões e sobrecargas, correlacionando informações e ofertando um maior poder de ação aos técnicos e líderes envolvidos no processo, fazendo com que eles se ocupem com as novas estratégias e gestão, ao invés de manterem-se sobrecarregados com tarefas repetitivas e tratamento de dados importantes a olho”, finaliza Emauri.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: