Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.059,94
    +95,97 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Black Friday | 5 dicas para proteger seu e-commerce

Atualmente, o Brasil conta com mais de 1,59 milhão de sites direcionados ao comércio eletrônico, conforme aponta a BigData Corp. Com a alta demanda da Black Friday, cresce de maneira significativa o número de pedidos e, consequentemente, de ataques de cibercriminosos. Um teste da Akad Seguros aponta que, dos 2,4 mil sites corporativos analisados, 98% deles possuem alguma vulnerabilidade para sofrer ataques virtuais.

Segundo Alexandre Morelli, Head of Cybersecurity na NAVA Technology for Business — empresa que fornece serviços e soluções de negócios e tecnologia —, por se tratar de compras em grande escala e em um curto período de tempo, hackers aproveitam o alto volume de acessos para roubar dados ou adquirir produtos, sem que o lojista consiga detectar a fraude em tempo hábil.

Confira as 5 dicas que Morelli separou para auxiliar os empreendedores a protegerem seus e-commerces, a seguir;

A alta demanda da Black Friday pode atrapalhar os lojistas a identificarem fraudes em tempo hábil (Imagem: Reprodução/Pexels)
A alta demanda da Black Friday pode atrapalhar os lojistas a identificarem fraudes em tempo hábil (Imagem: Reprodução/Pexels)

Como proteger seu negócio durante a Black Friday de 2022

Qualifique seu link: entre em contato com o suporte da sua hospedagem, ou equipe de TI, para solicitar a implementação do protocolo HTTPS — adicionando uma camada extra de segurança no seu site e dificultando a coleta de dados por parte dos invasores.

Hospede-se na nuvem: manter os dados do seu site em nuvem garante mais segurança para a loja online. Em uma tentativa de ataque de negação de serviço (DOS), por exemplo, a maioria dos provedores possuem subsídios para eliminar a ameaça. Verifique a disponibilidade do serviço em nuvem com a empresa de hospedagem.

Proteja-se contra o phishing e DOS: é preciso verificar se a plataforma de hospedagem possui métodos para proteger o seu e-commerce de ataques cibernéticos. Além do DOS, que pode derrubar um site legítimo e utilizá-lo como fachada para uma página falsa, existem os ataques phishing, que obtêm os dados pessoais dos usuários, incluindo número de cartão de crédito — deixando seus clientes em risco.

Confira sua carteira digital: Verifique com a empresa ou banco que fornece serviços de pagamento no seu e-commerce se os protocolos de segurança estão adequados.

Verificação de acesso: Monitore todos os tipos de acesso aos sistemas internos, sites, hiperlinks e estruturas online. Segundo Morelli, a NAVA Technology for Business monitora toda tentativa de cadastro indevido ou entrada em local diferente do habitual, isso faz com que todo seu ambiente virtual tenha mais uma barreira de segurança em relação a tentativas de ataques cibercriminosos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: