Mercado abrirá em 2 h 46 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,81
    +0,55 (+0,77%)
     
  • OURO

    1.813,30
    -8,90 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    38.588,86
    -1.101,70 (-2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    936,68
    -24,22 (-2,52%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.115,36
    +33,64 (+0,48%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.970,00
    +17,25 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1506
    +0,0065 (+0,11%)
     

Bitcoin tem segundo pior trimestre da história

·2 minuto de leitura
Grande urso de Bitcoin hater pessimista ódio contra
Grande urso de Bitcoin hater pessimista ódio contra

Desde que o Bitcoin perdeu quase 50% do seu valor nas últimas semanas, resistindo no suporte de US$ 30 mil e falhando constantemente em conseguir bater a barreira psicológica de US$ 40 mil, a preocupação vem aumentando no mercado. Para analistas do setor, o Bitcoin está no caminho de uma nova queda recorde em breve.

De acordo com um estudo realizado pelo Yahoo Finance, o segundo trimestre de 2021 foi histórico para o Bitcoin, com a moeda chegando a US$ 64,8 mil e o topo coincidindo com a estreia da Coinbase na Nasdaq. Além disso, a queda no período é a maior da história.

Bitcoin segundo semestre. Imagem: Yahoo
Bitcoin segundo semestre. Imagem: Yahoo

O momento da valorização acabou perdendo força e os investidores varejistas não conseguiram ir contra a pressão de venda, o que causou a grande queda que vimos nas últimas semanas.

Além da pressão de venda causada pelo momento, tivemos também o “FUD” causado pela Tesla, com as suas opiniões sobre o consumo de energia do Bitcoin. E, claro, também o movimento de repressão ao criptomercado que a China também iniciou recentemente.

O CEO da Delta Exchange, Pankaj Balani, disse que o Bitcoin não está nem um pouco próximo de um “retorno dos touros”, mas sim uma consolidação do movimento de baixa.

“O Bitcoin está em uma fase de consolidação, e nós achamos que isso pode ir até o fim de setembro. Desde o seu máximo em abril, o interesse institucional diminuiu e tem uma falta de liquidez tanto das corporações quando dos compradores varejistas.”

Ainda de acordo com Balani, a criptomoeda permanece vulnerável a qualquer fraqueza no mercado macro e pode cair para antigos valores de US$ 19 mil, que já foi um importante nível de resistência e agora é um suporte fundamental.

A queda do Bitcoin é algo que está sendo esperado por muitos, já que a moeda vem “decepcionando” os investidores depois de uma queda brusca e falhando em não conseguir recuperar esses valores.

Ainda assim, o artigo do Yahoo destaca que outros analistas se mantém otimistas com a moeda e estão traçando paralelos com movimentações de 2013, quando o Bitcoin caiu de US$ 250 para US$ 45, antes de quadruplicar o seu valor em novembro do mesmo ano.

John Lilic, membro do ConsenSys e conselheiro da Polygon, disse em entrevista à CoinDesk que ele não acredita ainda que estamos no fundo, mas que isso não quer dizer que não teremos uma boa recuperação.

“Enquanto eu não acho que atingimos o fundo, o mercado parece com 2013 e o Bitcoin poderia ver uma mega alta.”

Novamente estamos em um momento que é bem difícil dizer para onde o Bitcoin vai, com muitos hodlers se mantendo mais pela crença no ativo digital e na sua possível valorização.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos