Mercado fechará em 1 h 55 min
  • BOVESPA

    108.421,48
    +2.125,30 (+2,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.819,14
    -70,52 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,74
    -0,02 (-0,02%)
     
  • OURO

    1.808,70
    +12,40 (+0,69%)
     
  • BTC-USD

    63.668,07
    +3.302,54 (+5,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.521,74
    +1.279,06 (+527,06%)
     
  • S&P500

    4.568,52
    +23,62 (+0,52%)
     
  • DOW JONES

    35.759,23
    +82,21 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.499,50
    +158,50 (+1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4606
    -0,1202 (-1,83%)
     

Bitcoin pode ajudar Tonga a salvar mais de 30% de seu PIB

·3 minuto de leitura

Acompanhando as medidas tomadas por El Salvador, Tonga é outro país que pode se beneficiar do Bitcoin caso ele adote a moeda. Sendo o país que mais depende de remessas internacionais, o Bitcoin pode ajudá-lo a economizar 30% de seu PIB, hoje perdido em taxas de serviços tradicionais.

A briga entre o Bitcoin e a Western Union, principal empresa usada para remessas internacionais em Tonga, é antiga. Em 2014, a empresa chegou a tomar ações legais para que uma imagem comparativa entre os dois fosse retirada do Facebook.

Apesar das boas intenções do parlamentar de Tonga, talvez o caminho mais simples seja educar o seu povo em vez de desperdiçar tempo e dinheiro na criação de leis.

Vivendo em 1800

Embora o mundo tenha evoluído tecnologicamente, alguns serviços antigos continuam sendo usados, como é o caso da Western Union, empresa responsável pelo envio e recebimento de dinheiro internacional. Trabalhando no ramo desde 1871, as suas altas taxas são um grande problema para seus usuários.

O Bitcoin pode resolver isso. A ideia de Lord Fusitu, membro do parlamento de Tonga é se inspirar na Lei do Bitcoin de El Salvador para criar um projeto similar para o seu país. Segundo ele, as taxas da Western Union são tão altas que tem forte impacto no PIB do país.

“Tonga é o país que mais depende de remessas internacionais. Entre 38% e 41,1% do nosso PIB, dependendo dos números do Banco Mundial usados, são remessas, para enviar essas remessas para Tonga, a Western Union cobra 30%, em média […] Portanto, nosso PIB em 2020 foi de 510 milhões de dólares, 40 por cento disso é pouco mais de 200 milhões, então 30 por cento disso ou 60 milhões são taxas somente para a Western Union.”

A briga entre o Bitcoin para tomar o lugar da empresa é antiga. Em 2014, a Western Union tomou ações legais para que o Facebook removesse uma comparação entre os serviços da empresa e o Bitcoin.

Imagem
Bitcoin vs Western Union. Fonte: Reprodução.

A imagem é uma crítica baseada em uma campanha publicitária da WU, na qual mostra as vantagens do Bitcoin. Como essa imagem foi removida do Facebook, um usuário fez questão de salvá-la na blockchain do Bitcoin, provando mais uma vez o seu valor.

Forçar ou educar

Recentemente, Vitalik Buterin, e outros, iniciaram uma discussão sobre a obrigatoriedade de aceitar Bitcoin em El Salvador. Segundo eles, ninguém deveria ser obrigado a aceitar uma moeda, pois isso vai contra os princípios das criptomoedas.

Caso os cidadãos de Tonga queiram economizar nas taxas de remessas internacionais, basta educá-los. Um caminho bem mais fácil do que tentar aprovar uma lei que levará tempo para ser redigida e votada.

Além disso, a ideia já começa a sofrer críticas antes mesmo de ser materializada. O presidente do Banco Central de Tonga já declarou que “o banco não tem intenção de aceitar o Bitcoin como moeda legal”. Educar é um caminho mais simples e barato, como o Bitcoin em relação as taxas da Western Union.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos