Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.461,29
    +251,03 (+0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Bitcoin cai 50% desde topo histórico, mas não é o único

Espaço de trabalho de um trader de ações e criptomoedas.
Espaço de trabalho de um trader de ações e criptomoedas.

Desde seu topo histórico, registrado em 10 de novembro de 2021, o Bitcoin já perdeu mais de 50% de seu valor, saindo de US$ 69.000 para US$ 32.000 nesta segunda-feira (9). Entretanto, o Bitcoin não está sozinho neste mercado de baixa, e não estamos falando sobre outras criptomoedas, embora estas estejam com o mesmo histórico.

Gigantes da indústria americana também estão juntos neste barco. Amazon, Microsoft e NVIDIA, por exemplo, também tiveram perdas expressivas durante este mesmo período. Além disso, também podemos apontar quedas maiores, de 75%, da Netflix e do PayPal.

O culpado seria o Federal Reserve, Banco Central dos EUA, reduzindo estímulos financeiros para controlar a inflação. Entretanto, o ouro não seguiu esta tendência, inclusive atingiu preço histórico neste ano, colocando em xeque a posição do Bitcoin como um ouro digital, ou seja, uma reserva de valor.

Bitcoin: ouro digital ou tecnologia?

Definir o que é o Bitcoin é, em simultâneo, fácil e complicado. Além de ser uma moeda, com oferta limita em 21 milhões de unidades, também é um sistema de pagamentos global e incensurável.

Durante muitos anos, a narrativa é que o BTC tanto dinheiro quanto uma rede de pagamentos, mais tarde passou a ser considerado como um ouro digital por conta de sua escassez.

Contudo, a forte correlação de preços com o mercado de ações está tornando esta última posição. Afinal, alguns argumentam que o Bitcoin deveria estar mais relacionado ao ouro, mais antiga reserva de valor do mundo, do que a empresas.

Correlação entre Bitcoin e ações da Amazon, Netflix e Microsoft, e gráfico de preço do ouro.
Correlação entre Bitcoin e ações da Amazon, Netflix e Microsoft, e gráfico de preço do ouro.,

Portanto, traders podem estar enxergando o BTC como as ações do Bitcoin, sendo este uma empresa. Totalmente errados não estão, afinal ele também depende do fluxo de “clientes”, contudo, esta é uma métrica de difícil estudo conforme o Bitcoin não gera dividendos, por exemplo.

Por ser tão completo e complexo, o Bitcoin atraiu diversos perfis de investidores: traders de Wall Street, ancaps, macroeconomistas e até mesmo governos. Cada um deles comprando ou vendendo por motivos diferentes, e são estes diversos pontos de vista que o fazem ser tão importante quanto é.

A culpa é do Fed

Quanto a atual queda de 50% do Bitcoin, a culpa é do Fed. Com os EUA vivendo a maior inflação das últimas décadas após estimulos à econômia pós Covid-19, muitos se anteciparam prevendo um aperto monetário.

Com isso, enquanto o Bitcoin começou sua queda em 10 de novembro, gigantes americanas seguiram o mesmo caminho alguns dias depois. Muitas delas após marcaram topos históricos naquele mês. Os gráficos abaixo mostram a variação do mercado de criptomoedas e das empresas que compõe o índice S&P 500, do início deste ano até hoje.

Mapa de calor do mercado de criptomoedas. Fonte: Coin360
Mapa de calor do mercado de criptomoedas. Fonte: Coin360
Mapa de calor das empresas que compõe o S&P 500. Fonte: Finviz
Mapa de calor das empresas que compõe o S&P 500. Fonte: Finviz

Na última quarta-feira (4), o Fed aumentou novamente a taxa de juros, provocando ainda mais queda em ambos mercados. Indo além, podemos esperar outros aumentos neste ano, o que pode derrubar ainda mais o preço do Bitcoin.

Por fim, embora o dólar pareça o caminho mais seguro no curto prazo, não há dúvidas de que o Bitcoin seja o campeão no longo, então tais quedas podem ser ótimo momento de compra. Afinal enquanto as moedas fiduciárias tendem a morrer pela inflação, o Bitcoin segue atraindo o interesse de novas pessoas. Como exemplo, recentemente a Fidelity anunciou a possibilidade de usar BTC em planos de aposentadoria.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos