Mercado fechado

Biosev planeja hedge de dívida em dólar em meio à volatilidade

Fabiana Batista

(Bloomberg) -- A subsidiária de açúcar da Louis Dreyfus no Brasil busca reduzir a exposição às oscilações do câmbio para proteger a dívida atrelada ao dólar.

Cerca de 90% da dívida de R$ 5,9 bilhões da Biosev é denominada na moeda norte-americana, o que torna a empresa vulnerável à volatilidade do real, disse o diretor financeiro da empresa, Leonardo Oliveira D Elia, em entrevista por telefone. Nos nove meses até dezembro, a Biosev registrou despesa financeira de R$ 624 milhões, em parte devido à alta do dólar em relação ao real.

Para a empresa, uma dívida sustentável não tem a ver apenas com extensão dos vencimentos, afirmou. Embora uma exposição da dívida ao dólar ofereça ao exportador um hedge natural, é necessário um corte “significativo” para proteger resultado e equity, disse, sem estabelecer uma meta para a redução.

A Biosev analisa tanto contratos de hedge no mercado futuro quanto contratos a termo de moeda (NDF) e espera avançar essas transações nos próximos meses, disse.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórter da matéria original: Fabiana Batista em Sao Paulo, fbatista6@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: James Attwood, jattwood3@bloomberg.net, Joseph Richter

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.