Mercado abrirá em 6 h 9 min
  • BOVESPA

    113.430,54
    +1.157,53 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.564,27
    +42,84 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,07
    +0,20 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.941,90
    -3,40 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    23.135,04
    +283,88 (+1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,33
    +5,54 (+1,07%)
     
  • S&P500

    4.076,60
    +58,83 (+1,46%)
     
  • DOW JONES

    34.086,04
    +368,95 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.771,70
    -13,17 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.927,54
    +85,21 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    27.351,09
    +23,98 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    12.104,00
    -48,00 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5201
    +0,0045 (+0,08%)
     

Biden pede ao Congresso dos EUA que controle gigantes da tecnologia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu, nesta quarta-feira (11), aos congressistas republicanos e democratas o fim de anos de impasses políticos em prol da aprovação de leis que limitem o poder das grandes empresas de tecnologia.

"Os riscos apresentados pelas gigantes da tecnologia para os cidadãos americanos são claros", disse Biden em um artigo de opinião publicado no The Wall Street Journal poucos dias depois que o Partido Republicano conquistou a maioria na Câmara dos Representantes como resultado das eleições de meio de mandato, realizadas em novembro. "É hora de fazer alguma coisa", acrescentou.

O presidente democrata afirmou estar "orgulhoso" pelas conquistas do setor de tecnologia, mas também "preocupado", "assim como muitos americanos", "pela forma como esta indústria recolhe, compartilha e explora os nossos dados mais pessoais, o que fortalece o extremismo" e "coloca nossas crianças em risco."

"Milhões de jovens lutam contra o assédio, a violência, o trauma" e problemas de "saúde mental", insistiu Biden. "Precisamos responsabilizar as redes sociais pelos experimentos que realizam com nossas crianças em nome do lucro".

Biden lembrou que, desde o início de seu mandato, advoga junto ao Congresso por uma legislação mais firme sobre o tema.

O presidente americano também citou os esforços de seu governo para proteger os dados pessoais, combater a discriminação na internet e fortalecer os meios do Estado para punir as práticas anticompetitivas.

"No entanto, nossas prerrogativas atuais têm limites", concluiu, pedindo aos congressistas de ambos os partidos que ampliem a estrutura legal à qual os gigantes da tecnologia estão sujeitos.

arp/bfm/db/cjc/am/rpr