Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.709,91
    -237,57 (-0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Biden e Putin não darão coletiva de imprensa conjunta após reunião

·1 minuto de leitura
Fotos dos presidentes Joe Biden e Vladimir Putin

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, falará sozinho em uma coletiva de imprensa após seu encontro, na quarta-feira (15), em Genebra, com o russo Vladimir Putin, informou a Casa Branca neste sábado (12).

"Esperamos que esta reunião permita trocas francas e diretas", explicou uma autoridade do Executivo americano.

Para a Casa Branca, uma coletiva de imprensa "solo" é "o formato certo" para apresentar as questões discutidas, tanto as convergências possíveis quanto as questões sobre as quais os Estados Unidos têm "preocupações reais".

O Kremlin, por sua vez, confirmou que Putin também dará uma entrevista coletiva solo.

"Ouvimos dizer que Biden está considerando realizar uma entrevista coletiva separada [após a cúpula com Putin]. Como já dissemos, o presidente Putin também se comunicará separadamente com a imprensa após as discussões", disse Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin, à agência de notícias estatal RIA Novosti.

O Executivo americano explicou que o encontro incluirá uma sessão de trabalho e outra de formato menor, sem dar mais detalhes.

O diálogo entre os dois abordará questões delicadas, como a situação na Ucrânia e em Belarus, ciberataques ou o destino do opositor russo Alexei Navalny.

A Casa Branca vem insistindo há várias semanas que seu objetivo é tornar as relações entre os dois países mais "estáveis e previsíveis".

jca/gmo/lb/pc/me/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos