Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,34
    +0,06 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.710,70
    -5,10 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    50.925,28
    +2.618,05 (+5,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.018,46
    +30,37 (+3,07%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.224,36
    -334,74 (-1,13%)
     
  • NASDAQ

    12.625,50
    -56,25 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7725
    -0,0062 (-0,09%)
     

Biden diz que é necessário agir "agora" sobre estímulo por Covid-19

·2 minuto de leitura
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta sexta-feira que o Congresso precisa adotar ação imediata sobre sua proposta de alívio à Covid-19 de 1,9 trilhão de dólares, acrescentando que a maioria dos economistas acredita que estímulo econômico adicional é necessário.

"Precisamos agir agora", disse Biden a repórteres na Casa Branca. "Há um esmagador consenso entre economistas... de que este é um momento único e que o custo da inação é alto."

Biden falou enquanto os democratas, que lideram o Senado e a Câmara dos Deputados dos EUA, preparam-se para dar os primeiros passos na próxima semana para fornecer auxílio aos norte-americanos e empresas que se recuperam de uma pandemia que vitimou mais de 433 mil pessoas.

No ano passado, o Congresso aprovou 4 trilhões de dólares em alívio à Covid-19.

O líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, disse na quinta-feira que a Casa, claramente dividida, começaria a trabalhar em um pacote robusto na próxima semana, apesar das dúvidas entre os republicanos e alguns democratas sobre o tamanho da proposta de Biden.

Com o Senado, de 100 assentos, dividido em 50 a 50 e a vice-presidente do país, Kamala Harris, detendo o voto de desempate, os democratas estão se preparando para utilizar uma ferramenta parlamentar chamada "reconciliação", que permitiria à Casa aprovar o alívio à Covid-19 por maioria simples. Por causa das regras do Senado, a legislação geralmente requer 60 votos para a aprovação.

"Não há tempo para atrasos", disse Biden nesta sexta-feira. "Podemos terminar com 4 milhões de empregos a menos este ano... Pode levar um ano a mais para retornarmos ao pleno emprego se não agirmos, e não agirmos agora."

A presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, previu nesta quinta-feira que ambas as Casas do Congresso estariam prontas para avançar com o mecanismo de reconciliação até o fim da próxima semana.

(Reportagem de Steve Holland e David Morgan)