Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,71
    +0,09 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.816,70
    -19,10 (-1,04%)
     
  • BTC-USD

    40.243,43
    +409,34 (+1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    952,17
    +2,27 (+0,24%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.968,75
    -69,00 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1738
    +0,1333 (+2,21%)
     

Biden chama fim de tabloide de Hong Kong de "dia triste para a liberdade de imprensa"

·1 minuto de leitura
Presidente dos EUA, Joe Biden, em Washington

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, classificou o fechamento do Apple Daily, um tabloide de Hong Kong, nesta quinta-feira, como um "dia triste para a liberdade de imprensa" e disse que o fato sinaliza uma "repressão mais intensa de Pequim".

Em um comunicado divulgado mais cedo nesta quinta-feira após a notícia do fim do veículo de notícias, Biden clamou à China para que pare de visar a mídia independente e liberte jornalistas e executivos de mídia detidos.

"As pessoas de Hong Kong têm direito à liberdade de imprensa. Ao invés disso, Pequim está negando liberdades básicas e agredindo a autonomia e as instituições e processos democráticos de Hong Kong, (algo) incompatível com suas obrigações internacionais", disse.

O Apple Daily, o jornal pró-democracia mais explícito de Hong Kong, foi obrigado a encerrar uma trajetória de 26 anos em meio a uma repressão de segurança nacional que congelou os recursos da empresa. Seu fechamento causou filas de centenas de leitores fiéis em bancas de toda a cidade.

"É um dia triste para a liberdade de imprensa em Hong Kong e em todo o mundo", disse Biden, acrescentando que a publicação foi "um bastião muito necessário do jornalismo independente de Hong Kong".

"Por meio de prisões, de ameaças e da imposição de uma Lei de Segurança Nacional que penaliza a liberdade de expressão, Pequim insiste em exercer seu poder para suprimir a mídia independente e silenciar opiniões divergentes."

(Por Susan Heavey, Lisa Lambert, Doina Chiacu e David Brunnstrom)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos