Mercado abrirá em 7 h 59 min
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,26
    -0,69 (-0,93%)
     
  • OURO

    1.809,00
    -3,60 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    39.713,56
    -2.346,47 (-5,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,78
    +11,88 (+1,25%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    26.198,65
    +237,62 (+0,92%)
     
  • NIKKEI

    27.818,60
    +535,01 (+1,96%)
     
  • NASDAQ

    15.028,75
    +73,00 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1572
    -0,0308 (-0,50%)
     

Bia Kicis: falta transparência no sistema eleitoral atualmente

·3 minuto de leitura

A presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara (CCJ), a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), disse nesta segunda-feira (14) que atualmente falta transparência no sistema eleitoral brasileiro, problema que seria resolvido com o voto impresso. Bia Kicis foi a entrevistada do programa Sem Censura da TV Brasil e falou também sobre temas como a condução dos trabalhos da CCJ, a aprovação do Projeto de Lei sobre Homeschooling na comissão e sobre a reforma administrativa, também já aprovado na CCJ.

A deputada explicou que um dos palestrantes que participou hoje de uma audiência pública sobre a PEC 135/2019, que trata da impressão de cédulas em papel na votação e na apuração das eleições, disse que um sistema eleitoral, qualquer que seja ele, tem que convencer o perdedor de que ele perdeu. “Se você não consegue convencer o perdedor de que ele perdeu, é porque você não tem mecanismo suficiente de convencimento. Falta o quê? Falta transparência. Quando há transparência, o perdedor não tem do que reclamar, porque se ele reclamar, está aqui as provas”, disse.

Segundo Bia Kicis, se houver um questionamento atualmente sobre o resultado de uma eleição, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem como provar para um candidato que ele perdeu e que o outro ganhou. “Isso é sério demais, nós estamos falando do voto, estamos falando da base da democracia. Nós estamos fazendo audiências públicas na comissão especial e todos os palestrantes que foram falar, mesmo aqueles que dizem que o sistema é seguro, todos dizem que o voto impresso vai melhorar o sistema, vai trazer mais transparência”, garantiu.

A deputada também contestou a argumentação do TSE de que, se a PEC for aprovado, pode não haver tempo hábil para ela ser implementada para as eleições de 2022. “Não acredito que não dê tempo [para implementar o voto impresso para 2022]. A Justiça Eleitoral diz que não dá tempo há 20 anos. Eu não sei qual é o tempo que eles precisam para colocar uma impressora acoplada a uma urna”, disse. “A gente quer urna eletrônica, porque a urna eletrônica ela é boa para organizar a votação, para dar agilidade. A gente não quer desprezar a tecnologia, mas a gente quer que a tecnologia esteja a serviço do eleitor e não o contrário, o eleitor a serviço da tecnologia.”

Bia Kicis explicou que uma urna eletrônica com impressora acoplada vai permitir que o eleitor digite o número do seu candidato, veja na tela a foto e o número e, antes de confirmar, ele pede para imprimir. Então sai um voto de papel em uma impressora, protegida por um visor e inacessível ao eleitor ou qualquer outra pessoa. O eleitor confirmar se aquele voto impresso é igual ao que está na tela, confirma o voto e o voto impresso cai em uma urna física.

“Terminada a eleição, a urna emite um BU, que é o Boletim da Urna, onde tem o resultado total, que só te permite saber o total, não te permite saber o que aconteceu para chegar a esse total, mas os papeizinhos na urna física sim, eles mostram o voto-a-voto. E se conta publicamente esses votos e vê se conferem com aquele que está no BU. Conferiu, OK, deu tudo certo. É muito simples de executar, não tem drama nenhum. O que a gente percebe é uma resistência que, a meu ver, não se justifica”, disse.

Assista a íntegra da entrevista:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos