Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    34.617,72
    -1.460,15 (-4,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

BHP negocia parceria com Nutrien em mina de potássio: Fontes

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Já perto de uma decisão, a BHP está em negociações com a Nutrien sobre uma possível parceria para seu enorme projeto de potássio no Canadá.

As duas empresas estudam várias opções. Uma delas seria a Nutrien se tornar a operadora e vender o potássio por meio de seus canais existentes. Em outra, a empresa canadense teria uma participação na mina Jansen, de acordo com pessoas a par do assunto. Não há garantia de que as negociações levem a um acordo, disseram as fontes, que não quiseram ser identificadas.

A BHP enfrenta obstáculos no projeto Jansen há anos. Apesar de já ter investido cerca de US$ 4,5 bilhões e cavado dois poços de 1.000 metros, a maior mineradora do mundo ainda não aprovou sua construção e enfrentou oposição de acionistas, incluindo da Elliott Investment Management. Ainda assim, a diretoria da BHP deve tomar uma decisão nos próximos meses.

A mineradora disse repetidamente que está aberta a trazer um sócio para o projeto, especialmente uma empresa com experiência no mercado de fertilizantes ou potássio. Embora não ofereça o produto atualmente, a BHP vê o potássio como estratégico para negócios futuros.

Porta-vozes da BHP e da Nutrien não quiseram comentar.

“Continuamos a gostar de potássio. Achamos que a demanda de longo prazo e os fundamentos do fornecimento de potássio são atraentes”, disse o CEO da BHP, Mike Henry, em conferência na semana passada quando perguntado sobre o projeto. “Sempre dissemos que estamos abertos a parcerias, mas o projeto não precisa de um parceiro para prosseguir.”

Mudança de tom

Se um acordo for alcançado com a BHP, isso representará uma reversão de postura da Nutrien. A empresa critica abertamente o projeto há anos, dizendo que seu desenvolvimento inundaria o mercado com potássio desnecessário. No entanto, o tom da Nutrien mudou desde que Mayo Schmidt substituiu Chuck Magro como CEO no início deste ano.

A empresa - formada em 2018 a partir da fusão de duas gigantes agrícolas canadenses, a Potash Corp. of Saskatchewan e Agrium - disse neste mês que o mercado poderia absorver as toneladas do projeto Jansen se extraídas de forma “disciplinada”.

A BHP, que tentou comprar a Potash Corp. em 2010, deve decidir nos próximos meses se aprova outros US$ 5,7 bilhões em gastos para colocar a mina Jansen em operação.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos