Bens intermediários puxam alta da produção industrial

Embora a produção de bens duráveis tenha aumentado 1,4% em outubro ante setembro, foi o aumento de 0,6% na fabricação de bens intermediários no período que sustentou a alta na indústria nacional no mês, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta terça-feira.

Em outubro, a produção industrial teve expansão de 0,9% em relação a setembro. A produção de bens intermediários tem um peso de 55% no total da indústria, enquanto o peso dos bens duráveis é de cerca de 10%. Em outubro, ante setembro, houve ainda recuo na produção de bens de capital (-0,6%) e de bens de consumo semi e não duráveis (-0,3%).

Segundo André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE, a boa performance dos bens duráveis foi puxada pelos veículos automotores, que têm um peso de aproximadamente 50% da categoria. "Mas também houve influência dos eletrodomésticos da linha branca", disse ele.

Revisão

O IBGE revisou a produção industrial de setembro ante agosto, que passou de uma queda de 1,0% para um recuo de 0,6%. A taxa de agosto ante julho também foi revisada, de 1,7% para 1,5%. A variação de junho ante maio saiu de 0,2% para 0,1%.

Houve revisão ainda na produção de bens de capital de setembro em relação a agosto, que saiu de -0,6% para -0,8%. A taxa de junho ante maio passou de 0,9% para 0,8%; a de maio ante abril saiu de -1,7% para -1,8%; e a de abril ante março passou de 0,6% para 0,5%.

Carregando...