Mercado abrirá em 3 h 13 min
  • BOVESPA

    107.937,11
    -1.004,57 (-0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.890,59
    -708,79 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,84
    +0,53 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.839,10
    -2,60 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    36.250,72
    +1.106,48 (+3,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    822,60
    +12,00 (+1,48%)
     
  • S&P500

    4.410,13
    +12,19 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.364,50
    +99,13 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.308,22
    +11,07 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.230,25
    -270,75 (-1,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2156
    -0,0131 (-0,21%)
     

Benito Di Paula celebra seus 80 anos no palco com o filho: ‘É quase uma jornada do herói’, diz Rodrigo Vellozo

·2 min de leitura

“Nunca imaginei que iria chegar aos 80 anos”, afirma Benito Di Paula, que faz aniversário neste 28 de novembro. A comemoração vai ser mais que especial, ao lado do filho Rodrigo Vellozo, de 39, no Vivo Rio, em show a partir das 20h de domingo.

— Será um momento de celebração íntimo e livre. Vamos dividir com as pessoas a alegria de ver meu pai chegar de forma tão linda, no auge, aos 80. É uma emoção, depois de tanto tempo de reclusão, poder celebrar com ele essa data no palco, um dos lugares em que ele é mais feliz — festeja Rodrigo, que começou a cantar aos 4 com Benito.

Leia também:

Os clássicos “Retalhos de cetim”, “Do jeito que a vida quer”, “Mulher brasileira” e “Charlie Brown” têm lugar garantido no repertório. Assim como as novas “Lágrimas no meu sorriso” e “Aurora”, compostas durante o período de isolamento social.

— O show será com dois pianos. Eu que fiz a produção e o cenário. Eu, meu filho e as pessoas que me acompanham há tantos anos. Estou com muita saudade de tocar no Rio — diz o friburguense que atualmente mora em São Paulo.

Leia também:

Pai e filho também lançam amanhã o álbum “O infalível zen”, o primeiro de inéditas de Benito nos últimos 25 anos. E um minidocumentário com depoimentos dos dois sobre o processo de criação, nas redes sociais dos artistas.

— A forma como meu pai compõe é impressionante. É um processo de criação ininterrupto, uma forma radical de viver. E não é fácil, nem uma questão de escolha: é uma força da natureza — admira-se Rodrigo, exaltando sua maior referência na vida e na profissão: — Ele sempre me ensinou sobre disciplina, liberdade e respeito. Sempre fomos muito unidos, pela música e pelas afinidades todas. Sempre tive muito orgulho da história do meu pai. É quase uma jornada do herói. Como artista, acho que ele é um dos maiores gênios da música popular brasileira.

Leia também:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos