Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.246,31
    -432,23 (-1,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Beneficiários indevidos do auxílio emergencial podem ter que devolver o dobro

·1 minuto de leitura
Projeto prevê a restituição dobrada do dinheiro recebido (Divulgação | Governo Federal)
Projeto prevê a restituição dobrada do dinheiro recebido (Divulgação | Governo Federal)
  • Proposta institui a devolução em dobro dos valores recebidos por quem não tinha direito

  • As pessoas que forem identificadas terão que restituir o dinheiro em até 6 meses

  • O projeto será analisado por duas comissões da Câmara dos Deputados

Quem agiu de má-fé e solicitou o auxílio emergencial sem precisar pode pagar caro. Mais especificamente, o dobro do que recebeu ao longo dos meses. A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou proposta que instituiu a devolução dobrada do valor recebido por quem não tinha direito ao benefício. 

Leia também:

De acordo com o texto, a devolução deverá ser realizada em até 6 meses. Quem não cumprir o prazo terá que pagar uma multa de 0,33% ao dia até o limite de 20% da dívida. Apenas usuários que foram cadastrados sem o devido consentimento não precisarão realizar a restituição dos valores.

O texto escolhido é o substitutivo do deputado Francisco Jr. (PSD-GO), ao Projeto de Lei 3115/20. O PL, do deputado Roberto de Lucena (Pode-SP), previa a devolução em até 12 meses. A proposta, que acrescenta a medida à Lei 13.982/20, será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara. 

Segundo o projeto, o Poder Público deverá divulgar a lista de beneficiários que utilizaram o benefício para que a sociedade possa acompanhar as pessoas que receberam o dinheiro durante o período da pandemia de covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos