Mercado abrirá em 2 h 56 min
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,65
    +0,90 (+1,51%)
     
  • OURO

    1.726,80
    -6,80 (-0,39%)
     
  • BTC-USD

    51.466,96
    +2.486,53 (+5,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.029,60
    +41,50 (+4,20%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.691,72
    +77,97 (+1,18%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.143,00
    +87,75 (+0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8704
    +0,0083 (+0,12%)
     

Em 1º dia de implantação do open banking, Campos Neto diz que benefícios serão percebidos gradualmente

Isabel Versiani
·2 minuto de leitura
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - Ao abrir evento que marca o início da primeira fase da implantação no open banking no país nesta segunda-feira, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que os benefícios do novo sistema ficarão evidentes ao longo do tempo.

"O open banking está para o sistema financeiro como a internet está para a sociedade. Os benefícios e casos de uso serão visíveis ao longo dos próximos meses e anos", disse Campos Neto.

O open banking dará aos clientes de instituições financeiras o poder sobre seus dados cadastrais e de transações como meio de fomentar a competição e acesso a serviços mais baratos e melhores.

Na primeira fase, que começa nesta segunda-feira, as instituições financeiras e de pagamento terão que disponibilizar informações sobre as características e preços dos seus produtos.

Segundo o diretor de Regulação do BC, Otávio Damaso, o público-alvo principal dessa etapa são as próprias instituições financeiras ou de pagamento, desenvolvedores, potenciais fintechs e acadêmicos.

A expectativa, segundo ele, é que, a partir da disponibilização dessas informações, sejam criados sites e empresas que se dediquem a comparar características e preços dos produtos bancários, em benefício dos clientes.

A previsão é que todas as quatro fases de implantação do modelo sejam concluídas até o final deste ano.

"Contudo, o ecossistema deverá continuar a evoluir mesmo após a implementação de todas essas fases, com o desenvolvimento do próprio mercado", disse Campos Neto, ressaltando que o open banking visa aumentar a eficiência e a competitividade no sistema financeiro nacional.

Na segunda fase de implantação, prevista para começar em julho, os clientes poderão autorizar o compartilhamento dos seus cadastros e de informações sobre suas transações financeiras com outras instituições.

Em um terceiro momento virá a inicialização dos pagamentos. "É um momento em que há uma junção do open banking com o Pix", disse Damaso.

Na última fase, todos os produtos e serviços financeiros serão integrados na infraestrutura do open banking.

O pontapé inicial do processo do open banking estava inicialmente previsto para ocorrer em novembro do ano passado, mas foi adiado para fevereiro por causa da pandemia da Covid-19 e para evitar atropelos em meio à implantação do Pix.