Mercado abrirá em 4 h 43 min
  • BOVESPA

    107.378,92
    +1.336,45 (+1,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.267,20
    +362,14 (+0,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    43,67
    +0,61 (+1,42%)
     
  • OURO

    1.826,70
    -11,10 (-0,60%)
     
  • BTC-USD

    18.374,12
    +41,61 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    368,14
    +6,71 (+1,86%)
     
  • S&P500

    3.577,59
    +20,05 (+0,56%)
     
  • DOW JONES

    29.591,27
    +327,79 (+1,12%)
     
  • FTSE

    6.333,84
    -17,61 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.518,47
    +32,27 (+0,12%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    11.969,50
    +64,25 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4476
    +0,0073 (+0,11%)
     

Benefício ao país de Lei de Falência mais moderna equivale ao da "independência" do BC, diz Sachsida

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, afirmou nesta quarta-feira que o projeto de modernização da Lei de Falências e Recuperação Judicial, que atualmente tramita no Senado, equivale, em termos de retorno ao país, ao projeto citado por ele como de "independência" do Banco Central (BC).

Em participação nesta quarta em seminário online promovido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Sachsida mencionou que a Lei de Falências integra a agenda da Secretaria de Política Econômica no âmbito do combate à má alocação de recursos.

O secretário falou ainda sobre a consolidação fiscal, cujo processo passa pela aprovação de reformas econômicas no Congresso.

"Dentro dessa agenda (de realocação de recursos), na minha leitura, (...) a Lei de Falências é prioritária para o Brasil, porque é graças a ela que você consegue melhorar a realocação de capitais de empresas que não são mais solventes para empresas ainda solventes", pontuou Sachsida.

A comparação com o projeto de autonomia do BC veio um dia depois de o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmar ter "praticamente acordadas" as votações de matérias com repercussão econômica como a proposta sobre autonomia do Banco Central e sugeriu que elas ocorram ainda nesta semana, na quinta-feira.

(Por Gabriel Ponte)