Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.920,61
    +356,17 (+0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.934,91
    +535,11 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,72
    +0,01 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.814,90
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    56.264,93
    -447,17 (-0,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.463,62
    -7,80 (-0,53%)
     
  • S&P500

    4.201,62
    +34,03 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    34.548,53
    +318,19 (+0,93%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.381,11
    +49,74 (+0,17%)
     
  • NASDAQ

    13.647,00
    +49,25 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3656
    -0,0010 (-0,02%)
     

Benchmark do Intel Rocket Lake-S mostra grande avanço em desempenho single-core

Wagner Wakka
·2 minuto de leitura

Um novo benchmark pode ter dado uma amostra da melhoria da próxima geração de CPUs da Intel. O site UserBenchmark revelou alguns resultados de um teste com um processador Rocket Lake de oito núcleos, assim apelidada a 11ª geração de processadores da companhia. O resultado foi um avanço de 21% em instruções por ciclo (IPC).

A Intel já havia dito que a proposta das próximas CPUs seria melhorar o IPC. Ou seja, cada núcleo deve ter mais aproveitamento, sem que a empresa foque em clock maior. Por isso, a CPU testada na ferramenta de benchmark do site conta com clock base de 3,4 GHz e boost de 4,2 GHz.

Segundo os resultados do UserBenchmark, nos testes single-core, a CPU Rocket Lake fez 179 pontos, 21% a mais que os 148 pontos do Core i7-10700K. Este não é o modelo mais potente da Intel na 10ª geração, mas está sendo usado como comparação por também ser um processador de 8 núcleos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Já o Core i9-10900K (o topo de linha atual, com 10 núcleos) fez 152 pontos no mesmo teste single-core, o que significa que o Rocket Lake deve ser 16% melhor. Como o atual i9 trabalha com 3,7 GHz de clock base e 5,3 GHz de boost, é possível ver que a 11ª geração deva ter um rendimento bem maior.

Tais dados são provenientes de testes realizados utilizando o programa de benchmark do UserBenchmark, que sempre faz o upload dos dados após o término das medições. Apesar disso, ela não diz quem exatamente rodou a ferramenta.

A Intel não comentou nada sobre o assunto e vem se limitando a dizer que está trabalhando no novo modelo e que ele será lançado no começo de 2021.

Se confirmado, o movimento pode ser um passo importante da marca contra a AMD. A concorrente já informou que a próxima geração, Ryzen 5000, deve ter melhoria de IPC em torno de 19%.

Novo padrão

Por fim, outro ponto ganhou destaque nos testes apresentados. Segundo o UserBenchmark, a análise foi feita usando uma placa-mãe Z590-A PRO-12VO (MS-7D10) da MSI. O ponto importante é a nomenclatura 12VO, que pode ter uma relação com a especificação ATX12VO da Intel. Isso significa mudança de padrão de pinos, dos atuais 24 pinos para um conector com apenas 10.

Na prática, trocar de CPU para a 11ª geração da Intel também vai significar trocar de placa-mãe novamente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: