Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    47.648,94
    -3.130,84 (-6,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Bem-vindos forasteiros: marcas de fora desembarcam no Rio

O Globo
·4 minuto de leitura

Apesar do cenário tão sombrio para o setor, a gastronomia do Rio sente sopros de renovação com a chegada de bem-vindos forasteiros. Em meio a baixas e incertezas, há quem consiga encontrar saídas e até arriscar novos passos neste terreno minado. Além de bravos empresários cariocas que estão investindo em novas casas, como Raphael Vidal, da Casa Porto, que há poucos dias abriu o Bafo da Prainha, há uma leva de marcas chegando de outras plagas.

Para quem havia adotado o modelo de franquias visando a expansão, a oferta cada vez maior de pontos vazios – e consequente baixa nos valores – tornou-se uma oportunidade. O setor registrou crescimento de quase 23% no faturamento nos últimos três meses de 2020 em relação ao trimestre anterior. Ajudam a explicar o bom resultado as vantagens que o modelo de franquias oferece a quem decide empreender pela primeira vez, como a possibilidade de investir em marcas já consolidadas, planos de negócios já prontos e suporte da franqueadora.

Nascido em Florianópolis, o Café Cultura desembarca no Rio em maio. Sócio da empreitada, Carlos Zilli conta que a marca fez tudo ao seu tempo. Primeiro se firmou como referência no serviço de cafés especiais e inaugurou filiais próprias antes de se multiplicar em forma de franquias, mas sem perder o foco.

- Mantivemos a nossa essência. Oferecemos um produto com cada vez mais qualidade, aliado a experiências e conhecimento em torno da cultura do café, e sempre de olho nas tendências - destaca Zilli, que também é diretor de dstratégia digital da Associação Brasileira de Franchising.

Negócio familiar surgido há três décadas em Belém, onde tem sete lojas, a sorveteria Blaus já havia colocado um pezinho no Rio com uma espécie de posto avançado ao lado do Tacacá do Norte, no Flamengo. Este mês, a marca conquistou mais terreno com a inauguração de um quiosque na área gourmet do Shopping Downtown, na Barra. Sócio do Tacacá, Rui Renato se juntou a Hélio Moreira, fundador da rede Cafeína, e pretende ir mais longe. Masterfranqueados da Blaus, os dois pretendem avançar rumo ao interior do estado. Ao Café Cultura e à Blaus, juntam-se ainda a primeira unidade da doceria paulista Nanica e os três quiosques da Dom Casero, casa de biscoitos nascida em Pernambuco e consolidada em Brasília.

Blaus

Sorveteria paraense com três décadas de tradição, a marca chegou à Barra com seu cardápio de gelados em sabores típicos do Norte, sem conservantes ou aditivos químicos. Carro-chefe, a linha regional inclui pedida como uxi, bacuri, cupuaçu, tucumã, taperebá e murici. No copinho ou na casquinha, uma bola cista R$ 12 e duas, R$ 20). Mas as sugestões se estendem a picolés, sanduíches de sorvete, milk shakes e um produto orignal: o waffle paraense, com massa feita de farinha de tapioca, castanha-do-pará e cumaru.

Downtown. Avenida das Américas, 500, bloco 8, Barra – 2225-7342. Todos os dias, das 10h às 22h. Pedidos pelo Whatsapp 21 99918-7902, Ifood e UberEats.

Dom Casero

Tradicional fabricante de biscoitos finos nascida em Pernambuco - mas establecida em Brasília, onde ficam três pontos de venda -, a Dom Casero inaugura de uma vez três quiosques em shoppings do Rio. O cardápio traz delícias como a receita de castanha do pará com jujuba de cupuaçu (R$ 16,90; 140g), casadinhos (R$ 29,90; 250g), galettas de doce de leite (R$ 29,90; 240g) e o famoso bolo de rolo (R$ 32,90; 400g). A fábrica, que começou de forma caseira, traz para a cidade o dabor de receitas da matriarca da família.

Rio Design Barra, Rio Sul e Botafogo Praia Shopping.

Nanica

A marca paulistana - que tem o atro Tiago Abravanel entre os sócios - investe no banoffe, doce de origem inglesa que consiste em torta de banana com creme e caramelo sobre massa amanteigada. Numa loja na Dias Ferreira, no Leblon, o cardápio explora versões da clássica receita. Um novidade, o Churroffee tem massa de biscoito ao leite, leite condensado cremoso de churros, banana, chantili e cereal de churros (R$ 17 a fatia). Carro-chefe, a tradicional banoffee leva banana-nanica, doce de leite caseiro e chantilli com cacau polvilhado sobre massa de biscoito ao leite (R$ 16 a fatia). Moango e uva são outras frutas usadas nas recetias.

Rua Dias Ferreira, 679, Leblon – 11 97592.0997. Todos os dias, das 10h30 às 21h. Entregas pelo Rappi.

O Rio Gastronomia é uma realização do jornal O GLOBO com apresentação do Senac RJ e do Sesc RJ, patrocínio master do Santander, patrocínio de Naturgy e Stella Artois, apoio do Gosto da Amazônia, Água Pouso Alto e Getnet, e parceria do SindRio.