Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.304,07
    +730,43 (+1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Belga Fluxys tem aval do Cade para comprar fatia da Total no gasoduto Bolívia-Brasil

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo belga de infraestrutura de gás natural Fluxys teve aval do órgão brasileiro de proteção à concorrência para a aquisição da fatia da petroleira francesa Total na TBG, empresa responsável pela operação do gasoduto Bolívia-Brasil.

A transação recebeu aprovação sem restrições do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), de acordo com publicação no Diário Oficial da União desta segunda-feira.

O negócio vem em momento em que a Petrobras tem buscado compradores para sua participação de 51% na TBG, após informar em dezembro o início de um processo competitivo para venda do ativo, em meio a um amplo programa de desinvestimentos.

Segundo parecer do Cade, a Fluxys deve adquirir todas cotas da Total no negócio, por valor não revelado.

A transação ocorrerá por meio da compra pela empresa de ações na BBPP, uma holding com participação de 29% na TBG, na qual a Total detém 33,33%.

A Fluxys já possui 66,6% das cotas da BBPP e 8% das ações da TBG, apontou o Cade.

O órgão avaliou que a aquisição não resultará em prejuízos ao ambiente concorrencial, citando que a Fluxys não possui outras atividades no Brasil no momento fora a participação na TBG.

A TBG possui e opera o trecho brasileiro do Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), uma malha de cerca de 2.600 km, incluindo a principal rede de transporte de gás natural no Sul do Brasil.

Uma das acionistas da TBG, a EIG Global Energy Partners, anunciou em janeiro que fechou acordo para vender sua fatia de 27,5% no empreendimento à Fluxys, sem citar valores.

(Por Luciano Costa)