Mercado abrirá em 7 mins
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,69
    +0,30 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.825,50
    +25,80 (+1,43%)
     
  • BTC-USD

    39.723,69
    -221,04 (-0,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    931,94
    +2,01 (+0,22%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.081,07
    +64,44 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.315,32
    +841,44 (+3,30%)
     
  • NIKKEI

    27.782,42
    +200,76 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    14.988,25
    -23,25 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0318
    -0,0267 (-0,44%)
     

BCE sinaliza que pode frear dividendos quando suspender limites

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Banco Central Europeu poderia tomar medidas para evitar que instituições financeiras paguem dividendos excessivos ainda este ano, quando “muito provavelmente” o limite para pagamentos será suspenso, disse uma autoridade do BCE.

Margarita Delgado, que faz parte do conselho de supervisão do BCE, disse em entrevista na segunda-feira que a instituição vai pedir que os bancos permaneçam “cautelosos”. Seus comentários reduzem a possibilidade de um grande aumento dos pagamentos.

O BCE ficará de olho em bancos com propostas de recompensas excessivas aos acionistas para que retomem “uma política de distribuição média”, disse Delgado, que também é vice-presidente do banco central da Espanha. “Temos outras ferramentas se o banco não aceitar a recomendação do supervisor.”

Essas medidas poderiam - em circunstâncias excepcionais e após um diálogo “construtivo” - incluir submeter os bancos a requisitos de capital mais elevados ou a medidas qualitativas. Além da avaliação sobre a solidez financeira de um banco, o BCE vai comparar os planos de pagamento de dividendos àqueles com tamanho ou modelo de negócios semelhantes, disse.

Bancos europeus estão ansiosos para aumentar o retorno aos acionistas. Um dia depois da entrevista de Delgado, o Banco da Inglaterra suspendeu as restrições impostas no auge da pandemia para garantir que os maiores bancos, como HSBC, Barclays e Standard Chartered, pudessem enfrentar perdas.

O BCE vai tomar uma decisão sobre se eleva o limite para dividendos no final deste mês, após impor restrições para os primeiros nove meses do ano, o que tem pesado sobre os preços das ações.

Os comentários de Delgado mostram que os reguladores se preparam para um possível aumento das insolvências corporativas com o fim da flexibilidade para pagamento de empréstimos e maior incerteza devido ao avanço das variantes do coronavírus.

“Vamos analisar a situação de cada um dos bancos: isso é o que significa voltar ao normal”, disse Delgado. “Consideremos o banco X, que é solvente o suficiente, prudente o suficiente, com colchões de gestão suficientes e rentabilidade recorrente muito forte; provavelmente esse banco terá permissão para pagar não apenas pelos resultados de 2021, mas também por 2020.”

Dez dos maiores bancos da zona do euro têm mais de 22,2 bilhões de euros (US$ 26,3 bilhões) reservados para recompensar os acionistas, de acordo com cálculos da Bloomberg. BNP Paribas, Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, ING, Intesa Sanpaolo e Nordea Bank estão entre as instituições com as maiores reservas.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos