Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.943,90
    +386,23 (+0,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.948,73
    +30,45 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,64
    +0,59 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.786,60
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    50.687,36
    -479,25 (-0,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.320,65
    +15,53 (+1,19%)
     
  • S&P500

    4.692,98
    +6,23 (+0,13%)
     
  • DOW JONES

    35.689,34
    -30,09 (-0,08%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.332,75
    +14,75 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2858
    -0,0539 (-0,85%)
     

BCE pede ajuda de governos para atingir meta de inflação

·1 min de leitura
Sede do Banco Central Europeu em Frankfurt, Alemanha

FRANKFURT (Reuters) - Os governos europeus deveriam poder gastar mais quando a inflação estiver abaixo da meta de 2% do Banco Central Europeu e vice-versa, disse nesta sexta-feira o economista-chefe do BCE, Philip Lane.

Governos da União Europeia estão debatendo como reformar as regras fiscais da UE para lidar com o aumento induzido pela pandemia da dívida pública e com o enorme investimento necessário para combater a mudança climática.

Lane defendeu propostas para dar aos governos mais tempo para reduzirem suas dívidas e disse que as novas regras fiscais deveriam também refletir a meta de inflação de 2% do BCE, que não foi alcançada por uma década até um salto este ano.

"A política fiscal seria mais frouxa quando a inflação estiver abaixo da meta de 2%, mas mais apertada quando a inflação estiver acima", disse Lane em um seminário da Comissão Europeia.

A inflação na zona do euro atingiu 4,1% em outubro e economistas projetam que ela também ficará acima do objetivo no próximo ano, conforme os custos mais elevados de energia e problemas de oferta afetam os salários e as expectativas de preços.

Lane, que insiste que o choque atual é temporário, disse que as regras fiscais da UE podem ser definidas para que diferenciem entre choques de inflação causados por oferta ou por demanda, embora "ao custo de complexidade extra."

(Reportagem de Francesco Canepa)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos