Mercado abrirá em 1 h 4 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,51
    +3,36 (+4,93%)
     
  • OURO

    1.798,40
    +10,30 (+0,58%)
     
  • BTC-USD

    57.276,16
    +2.369,96 (+4,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.431,58
    -23,83 (-1,64%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.117,36
    +73,33 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    23.852,24
    -228,28 (-0,95%)
     
  • NIKKEI

    28.283,92
    -467,70 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.206,25
    +155,25 (+0,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2887
    -0,0598 (-0,94%)
     

BCE estuda impor limites para empréstimos alavancados: Fontes

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O Banco Central Europeu avalia impor limites ao segmento mais arriscado dos empréstimos de bancos a empresas endividadas devido à ameaça de turbulência no mercado, segundo pessoas a par do assunto.

Most Read from Bloomberg

Autoridades do Conselho de Supervisão do BCE discutiram a possibilidade de limitar transações muito alavancadas recém-originadas a uma determinada parcela dos balanços de bancos, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Ainda assim, alguns membros do conselho relutam em adotar a medida se os bancos puderem mostrar que estão gerenciando o risco de maneira adequada, segundo as fontes. As negociações estão em estágio inicial, e os limites podem não ser a opção escolhida, disseram.

O mercado de empréstimos alavancados está em alta este ano, especialmente nos Estados Unidos, à medida que firmas de private equity vendem participações e investidores buscam proteção contra a inflação. O Deutsche Bank tem contado com o lucrativo negócio como fonte importante para seu banco de investimento, já que as operações de trading impulsionadas pela pandemia se desaceleram. O banco alemão pode estar entre os mais afetados caso o BCE decida impor restrições.

A unidade de empréstimos alavancados do Deutsche Bank gerou mais de US$ 300 milhões em receita em 2020, ajudada pela liderança em alguns dos maiores acordos do ano, incluindo US$ 23 bilhões em empréstimos à T-Mobile para adquirir a rival Sprint, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. O banco está em oitavo lugar em empréstimos alavancados nos EUA, uma posição acima do ano passado, mostram os dados, e em quarto lugar na Europa, Oriente Médio e África.

Porta-vozes do BCE e do Deutsche Bank não quiseram comentar.

Mesmo antes de a pandemia aumentar a probabilidade de uma onda de defaults corporativos, o banco central havia recomendado que as empresas fossem cautelosas nas finanças alavancadas.

O Deutsche Bank reduziu o risco do negócio após feedback do BCE, disse em julho o diretor financeiro do banco alemão, James von Moltke. Isso aconteceu depois de a Bloomberg informar no mês anterior que o banco enfrentava maiores demandas de capital se não diminuísse o ritmo dos empréstimos alavancados.

Reguladores europeus ainda estão preocupados com o risco que o Deutsche Bank e outras empresas correm em empréstimos alavancados, de acordo com pessoas a par do assunto. Barclays, BNP Paribas e Credit Suisse estão entre os maiores rivais europeus do Deutsche Bank no segmento, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos