Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.143,70
    +2.847,52 (+2,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.862,81
    -26,85 (-0,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,55
    -0,21 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.807,60
    +11,30 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    62.849,08
    +2.568,88 (+4,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.504,15
    +1.261,47 (+519,81%)
     
  • S&P500

    4.566,25
    +21,35 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.731,62
    +54,60 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.504,50
    +163,50 (+1,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4401
    -0,1407 (-2,14%)
     

BCE enfrenta pedido para acabar com reuniões privadas após vazamento de economista-chefe

·2 minuto de leitura
Economista-chefe do BCE, Philip Lane

(.)

Por Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu está enfrentando um pedido para acabar com a prática de realizar reuniões a portas fechadas com o setor privado depois que o economista-chefe do BCE, Philip Lane, supostamente divulgou uma previsão não publicada de inflação em um evento desses.

O Financial Times informou na quinta-feira que Lane revelou em uma reunião privada com economistas alemães que o BCE espera atingir sua meta de inflação de 2% até 2025 -- informação que não era de domínio público e que pode ser usada para inferências sobre a trajetória futura dos juros.

A notícia foi parcialmente contestada pelo BCE, o banco central dos 19 países que usam o euro.

Sven Giegold, proeminente membro do Parlamento europeu, disse à Reuters que irá pedir em uma carta à presidente do BCE, Christine Lagarde, que tais reuniões sejam encerradas.

"O BCE tem que acabar com a prática de reuniões exclusivas com o setor privado em que não fica transparente o que eles disseram", disse Giegold à Reuters.

Um porta-voz do BCE recusou-se a comentar as declarações de Giegold.

O FT disse que Lane informou na reunião que "o cenário de referência de médio prazo" mostra que a inflação se recupera para 2% "logo depois do fim de seu período de projeção de três anos."

O BCE contestou os detalhes da matéria, que chamou de incorreto, e a conclusão do FT de que os juros da zona do euro podem ser elevados em 2023.

"O senhor Lane não falou em qualquer conversa com analistas que a zona do euro atingirá inflação de 2% logo depois do final do horizonte de projeção do BCE", disse um porta-voz do banco em comunicado por escrito nesta sexta-feira.

Questionado sobre a data de 2025 mencionada pelo jornal, o porta-voz não comentou.

Um porta-voz do Financial Times disse que o jornal mantém sua reportagem e matéria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos