Mercado fechará em 3 h 10 min
  • BOVESPA

    103.656,66
    +1.741,20 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.400,45
    +701,73 (+1,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,05
    +1,87 (+2,83%)
     
  • OURO

    1.791,60
    +15,10 (+0,85%)
     
  • BTC-USD

    58.549,18
    +131,34 (+0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.493,16
    +24,08 (+1,64%)
     
  • S&P500

    4.635,94
    +68,94 (+1,51%)
     
  • DOW JONES

    34.879,00
    +395,28 (+1,15%)
     
  • FTSE

    7.140,28
    +80,83 (+1,14%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.290,75
    +140,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3743
    +0,0043 (+0,07%)
     

BCE deve manter planos de encerrar compras da pandemia em março, diz Villeroy

·1 min de leitura
François Villeroy de Galhau, presidente do banco central da França e membro do BCE

PARIS (Reuters) - O ressurgimento de casos de Covid-19 e o salto na inflação não justificam neste momento uma mudança nos planos do Banco Central Europeu (BCE) de encerrar as compras emergenciais de títulos em março, disse nesta segunda-feira o membro do BCE François Villeroy de Galhau.

Com o vencimento em março do Programa de Compras Emergenciais da Pandemia (PEPP) do BCE, de 1,85 trilhão de euros, o banco decidirá em dezembro sobre seu futuro e o de outro programa adotado em 2015.

"Eu não acho que os acontecimentos atuais mudam essa avaliação. Da perspectiva de hoje, devemos encerrar as compras do PEPP em março de 2022", disse Villeroy em entrevista ao jornal alemão Boersen Zeitung.

Embora um aumento nos casos de Covid-19 em alguns países da zona do euro esteja prejudicando a perspectiva econômica, um salto na inflação este ano provocou alertas entre os mais inclinados no BCE a reduzir o estímulo monetário sobre não manter a política monetária frouxa demais por muito tempo.

Villeroy pediu uma resposta "paciente e vigilante" no BCE porque a economia da zona do euro não corre o risco de cair em recessão e porque a inflação elevada é temporária e provocada por gargalos empresariais.

(Reportagem de Leigh Thomas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos