Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.541,95
    -1.079,62 (-1,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.524,45
    -537,16 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    106,17
    +0,41 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.806,60
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    20.301,11
    +267,45 (+1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,58
    +3,11 (+0,72%)
     
  • S&P500

    3.785,38
    -33,45 (-0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.775,43
    -253,88 (-0,82%)
     
  • FTSE

    7.169,28
    -143,04 (-1,96%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    26.316,37
    -76,67 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    11.513,75
    -15,75 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5014
    -0,0042 (-0,08%)
     

BCE anuncia aumento dos juros para julho e prevê mais inflação pela guerra na Ucrânia

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta quinta-feira (9) que elevará suas taxas de juros em julho, pela primeira vez em mais de 10 anos, e aumentou as previsões de inflação para a zona do euro, consequência da guerra na Ucrânia que "continuará pesando na economia".

Ao mesmo tempo, a instituição também reduziu as previsões de crescimento do PIB para 2022 e 2023.

A instituição prevê agora que a inflação alcance 6,8% em 2022, 3,5% em 2023 e permaneça em 2,1% em 2024, ainda acima da meta de 2%, segundo as novas projeções publicadas em um comunicado após a reunião do comitê de política monetária.

Em março, nas previsões anteriores, o BCE projetava alta de 5,1% em 2022, 2,1% em 2023 e 1,9% em 2024.

Para enfrentar a inflação galopante, a instituição anunciou a primeira alta de juros em mais de 10 anos, prevista para julho.

Enquanto outros grandes bancos centrais já começaram a endurecer a política monetária, o BCE "deseja elevar as taxas de juros em 0,25% na reunião de julho", antes de outro aumento em setembro, afirma um comunicado do conselho da instituição.

No que diz respeito ao PIB, o BCE prevê um crescimento de 2,8% em 2022 na zona do euro, antes de 2,1% em 2023 - as projeções anteriores eram de 3,7% e 2,8%.

"A agressão injustificada da Rússia na Ucrânia continua pesando na economia europeia", enquanto "as pressões inflacionárias aumentaram e se intensificaram", destacou a instituição.

fcz/pc/eg/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos