Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.628,04
    +304,84 (+0,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

BCE abandona recomendação de limitar dividendos durante a pandemia

·1 minuto de leitura
A sede do Banco Central Europeu, em Frankfurt, Alemanha

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta sexta-feira (23) que a partir de outubro deixará de recomendar aos bancos que limitem a distribuição de dividendos durante a pandemia, embora vá aconselhá-los a serem prudentes em sua gestão.

O organismo supervisor dos grandes bancos da zona do euro decidiu "não prorrogar para além de setembro de 2021" esta recomendação, que entrou em vigor em dezembro de 2020, informou em um comunicado esta entidade, que faz parte do BCE.

No entanto, quando os bancos distribuírem dividendos, "não deverão subestimar o perigo do crédito", acrescentou o organismo supervisor.

Com esta decisão, o BCE reflete que suas últimas previsões macroeconômicas "confirmam uma retomada" da atividade e mostram "uma diminuição da incerteza".

Esta posição contrasta com as dúvidas expressas na quinta-feira por Christine Lagarde, presidente do BCE, que alertou para "a incerteza crescente" com a variante Delta e o aumento de casos de covid-19 no continente.

A entidade, sediada em Frankfurt, recomendava desde dezembro a todos os bancos que quisessem distribuir dividendos que os limitassem a 15% de seus lucros registrados em 2019 e 2020 ou a 20 pontos de sua base proporcional de fundos próprios, denominados "CET1".

Após a explosão da pandemia na Europa, o BCE aprovou no final de março de 2020 a suspensão completa da distribuição de dividendos.

jpl/smk/els/eb/jz/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos