Mercado fechará em 6 h 41 min
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,24
    +0,80 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.782,60
    +16,90 (+0,96%)
     
  • BTC-USD

    62.233,82
    +1.217,38 (+2,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,87
    +2,24 (+0,15%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.208,33
    +4,50 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.358,00
    +67,50 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4861
    +0,0946 (+1,48%)
     

BC russo sinaliza aumento iminente dos juros devido à alta da inflação

·2 minuto de leitura

Por Andrey Ostroukh e Alexander Marrow

MOSCOU (Reuters) - O banco central da Rússia vai aumentar sua taxa básica de juros ante o patamar de 6,75% em sua reunião de 22 de outubro, sinalizou seu vice-presidente, Alexei Zabotkin, nesta quarta-feira, enquanto o banco se prepara para subir sua previsão para a inflação, que permanece bem acima da meta de 4%.

O banco central elevou sua taxa básica de juros cinco vezes neste ano, já que a inflação, sua principal área de responsabilidade, disparou para perto de 7,3%, nível visto pela última vez em meados de 2016, impulsionada pela fraqueza do rublo e pela alta mundial nos preços dos alimentos.

A recente elevação nos custos de energia na Europa representa riscos extras para os preços na Rússia devido à chamada "inflação importada", disse Zabotkin em coletiva de imprensa.

Zabotkin disse que o banco central aumentará sua taxa básica de juros para controlar a inflação, acrescentando que os sinais da reunião de setembro do conselho ainda são relevantes.

"A taxa básica (de juros) vai seguir uma trajetória que retornará a inflação para 4%, a taxa básica será elevada o quanto for necessário para atingir essa meta", disse Zabotkin nesta quarta-feira.

"Não pretendemos dar aos mercados quaisquer sinais adicionais hoje", disse ele, acrescentando que a taxa básica de juros não chegará aos dois dígitos.

Em 22 de outubro, o banco também irá aumentar a previsão de inflação para este ano, ante atuais 5,7% a 6,2%, e revisará outras projeções econômicas, incluindo a trajetória de sua taxa básica de juros, disse Zabotkin.

A inflação recuará no próximo ano graças à política monetária mais rígida do banco, disse Zabotkin.

O banco central, que esperava o arrefecimento da inflação para 4,0% a 4,5% no final de 2022, informou nesta quarta-feira que vai estudar motivos para reduzir a meta de 4%. O banco mencionou outros países que possuem uma meta inferior.

(Por Andrey Ostroukh e Alexander Marrow)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos