Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.211,27
    +6,11 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

BC russo pode aumentar taxas nas próximas reuniões, diz presidente

·1 minuto de leitura
Fachada do banco central da Rússia

Por Elena Fabrichnaya

SOCHI, Rússia (Reuters) - O banco central da Rússia vai avaliar novos aumentos na taxa de juros em suas próximas reuniões, disse a presidente da autarquia, Elvira Nabiullina, nesta sexta-feira, um sinal "hawkish" depois que o banco aumentou sua taxa básica para 6,75% há uma semana.

Nabiullina, falando em uma conferência bancária em Sochi, disse que a taxa básica só poderá retornar ao seu nível neutro de 5%-6% quando o banco central estiver confiante de uma desaceleração estável da inflação.

"Está claro que nossa decisão de julho de aumentar a taxa em 1 ponto percentual ainda não mostrou reação totalmente. Dito isso, consideramos que é possível aumentar a taxa básica em uma ou duas etapas nas próximas reuniões do conselho", afirmou Nabiullina.

O banco central prefere medidas padronizadas a respeito da taxa básica, com ações não convencionais também possíveis em certas circunstâncias, acrescentou ela sem entrar em detalhes.

Conhecido por sua abordagem cautelosa, o banco central russo prefere movimentos em relação à taxa básica de 25 ou 50 pontos base, raramente adotando movimentos mais bruscos.

A inflação permaneceu alta, apesar de cinco aumentos nas taxas de juros neste ano, atingindo uma taxa anual de 6,84% em meados de setembro, maior nível em cinco anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos