Mercado abrirá em 9 h 45 min
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,05
    +1,07 (+1,45%)
     
  • OURO

    1.759,40
    +7,70 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    44.178,57
    +2.011,31 (+4,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.102,87
    -0,19 (-0,02%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.470,74
    +278,58 (+1,15%)
     
  • NIKKEI

    30.358,62
    +109,81 (+0,36%)
     
  • NASDAQ

    15.385,75
    +67,00 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2566
    +0,0010 (+0,02%)
     

BC regulamenta depósitos remunerados e instrumento pode entrar em operação na semana de 30/08

·2 minuto de leitura
Fachada da sede do Banco Central, em Brasília

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central regulamentou a operacionalização dos depósitos voluntários remunerados de instituições financeiras, e o novo instrumento de política monetária pode começar a ser utilizado já na semana de 30 de agosto, após a realização de testes na próxima semana, informou a autoridade monetária nesta quinta-feira.

Os depósitos voluntários serão um instrumento complementar às chamadas operações compromissadas, com as quais o BC já faz hoje o controle do volume de recursos em circulação na economia para sustentar a taxa de juros estabelecida pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Ao contrário das compromissadas, no entanto, os depósitos voluntários não envolvem a venda ou compra de títulos públicos pelo BC e não impactam a dívida pública do setor público. O uso do instrumento foi autorizado por lei sancionada em julho.

"Com a nova ferramenta, o Banco Central aperfeiçoa a gestão da liquidez bancária e se equipara a outros importantes bancos centrais do mundo que já atuam com o instrumento", disse o BC em nota.

O chefe do Departamento de Operações do Mercado Aberto, André de Oliveira Amante, afirmou que a remuneração dos depósitos voluntários deve ser semelhante às operações compromissadas, que seguirão sendo o principal instrumento de controle da liquidez.

A vantagem do instrumento para os bancos será a simplicidade da operação. "Do lado do BC, ele é muito favorável porque independe da existência de lastro na carteira de títulos do Banco Central", disse Amante, acrescentando que isso está em linha com o processo de autonomia do Banco Central.

Ele explicou que os depósitos serão oferecidos em duas modalidades: em leilão e por meio de uma facilidade permanente, com a qual o BC oferecerá diariamente a possibilidade de os bancos fazerem os depósitos. O uso do instrumento deve começar por essa segunda modalidade, de forma gradual, afirmou.

Segundo Amante, a expectativa é que os volumes dos depósitos voluntários fiquem bem abaixo do das compromissadas, cujas operações de curtíssimo prazo oscilam em torno de 920 bilhões de reais a 930 bilhões de reais.

"As operações compromissadas continuam sendo o principal instrumento de política monetária", disse Amante.

Ele afirmou que, a partir dos testes operacionais que serão realizados na quarta-feira da próxima semana, o BC possivelmente estará habilitado a oferecer o instrumento dos depósitos a partir da semana seguinte, mas a data exata para isso acontecer dependerá de decisão da diretoria.

(Por Isabel Versiani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos