Mercado fechará em 4 h 50 min
  • BOVESPA

    111.544,44
    -2.268,43 (-1,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.526,08
    -203,72 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,71
    +0,21 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.761,80
    -9,40 (-0,53%)
     
  • BTC-USD

    21.362,43
    -2.042,96 (-8,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    507,22
    -34,38 (-6,35%)
     
  • S&P500

    4.225,24
    -58,50 (-1,37%)
     
  • DOW JONES

    33.692,09
    -306,95 (-0,90%)
     
  • FTSE

    7.557,10
    +15,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,81 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.266,75
    -256,50 (-1,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2334
    +0,0196 (+0,38%)
     

BC do Japão mantém política monetária frouxa, presidente descarta chance de alta de juros no curto prazo

Sede do BC do Japão em Tóquio

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O banco central do Japão projetou que a inflação irá exceder sua meta este ano em novas previsões divulgadas nesta quinta-feira, mas manteve a taxa de juro ultrabaixa e sinalizou sua determinação de continuar sendo uma exceção em uma onda de aperto monetário dos bancos centrais globais.

O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, descartou a chance de apertar a política monetária no curto prazo, dizendo que não tem "absolutamente nenhum plano" para elevar os juros ou o teto implícito de 0,25% estabelecido para a meta de rendimento dos títulos de 10 anos.

"A economia está no meio de uma recuperação da pandemia. O agravamento dos termos de troca do Japão também está levando a uma saída de renda", disse Kuroda em uma conferência de imprensa.

"Como tal, temos que continuar com nossa política frouxa para garantir que o aumento dos lucros corporativos leve a um crescimento moderado dos salários e dos preços", disse ele.

Como amplamente esperado, o Banco do Japão manteve sua meta de -0,1% para os juros de curto prazo e a de rendimento dos títulos de 10 anos em torno de 0%.

Embora o aumento dos custos de combustível e commodities tenha empurrado a inflação japonesa acima da meta de 2% do banco central, ele tem repetidamente dito que não tem pressa em retirar o estímulo, já que a desaceleração do crescimento global afeta as perspectivas para a economia ainda fraca.

"A incerteza em torno da economia do Japão é muito alta. Devemos estar atentos aos movimentos dos mercados financeiro e monetário, bem como seu impacto sobre a economia e os preços", disse o banco em um relatório trimestral divulgado após a decisão.

Em novas projeções trimestrais, a diretoria elevou sua previsão para o núcleo da inflação ao consumidor no atual ano fiscal que termina em março de 2023 para 2,3%, de 1,9%. Também elevou sua previsão de inflação para o ano seguinte de 1,1% para 1,4%.

Mas o Banco do Japão cortou a previsão de crescimento deste ano fiscal para 2,4% de 2,9% e alertou para o golpe potencial das restrições de fornecimento persistentes, do aumento dos preços das commodities e da pandemia de Covid-19.

(Reportagem adicional de Tetsushi Kajimoto, Daniel Leussink e Kantaro Komiya)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos