Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,60
    +0,83 (+0,76%)
     
  • OURO

    1.866,50
    +1,10 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    29.673,68
    +562,44 (+1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    661,54
    +5,71 (+0,87%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.484,35
    -29,09 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.748,14
    -253,38 (-0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.846,75
    +75,75 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1726
    +0,0004 (+0,01%)
     

BC do Japão eleve projeções para inflação mas descarta aperto monetário

·2 min de leitura
Fachada da sede do Banco do Japão em Tóquio

Por Leika Kihara e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O banco central do Japão elevou suas estimativas de inflação nesta terça-feira mas disse que não tem pressa para mudar a política monetária ultrafrouxa, no momento em que o aumento dos preços alimenta especulações de que pode em breve sinalizar mudança em seu estímulo.

O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, reconheceu que as pressões de preços estão aumentando, mas disse que o banco central não tem a intenção de elevar os juros com a estimativa de que a inflação permaneça abaixo de sua meta de 2% por anos.

"Não estamos debatendo um aumento dos juros", disse Kuroda em entrevista à imprensa. "A projeção mediana dos membros da diretoria é de que a inflação fique em torno de 1%. Sob essas condições, não estamos absolutamente pensando em aumentar os juros ou em modificar nossa política monetária frouxa."

Como esperado, o Banco do Japão manteve a meta para os juros de curto prazo em -0,1% e a promessa de guiar as taxas de longo prazo em torno de 0% na reunião encerrada nesta terça-feira.

O Japão não tem sido imune ao impacto da inflação global de commodities, com os preços no atacado subindo a um ritmo recorde e levando mais empresas a aumentar os preços, mudando a percepção pública de que a deflação vai persistir.

Em relatório trimestral, o banco central revisou para cima sua projeção de inflação para o ano que começa em abril a 1,1%, de estimativa anterior de 0,9%. Também elevou a perspectiva para o ano fiscal de 2023 a 1,1%, de 1,0%.

"Os riscos aos preços estão em geral equilibrados", disse o banco no relatório. Em outubro a avaliação era de que os riscos seriam de baixa.

Analistas acreditam que o Banco do Japão ficará entre os últimos a reduzir o estímulo conforme a inflação continua baixa em comparação com muitas outras economias.

(Reportagem adicional de Kantaro Komiya e Daniel Leussink)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos