BC de Israel diz que corte de juro não implica recessão

O presidente do Banco Central de Israel, Stanley Fischer, disse nesta terça-feira que o corte de 0,25 ponto porcentual do juro na noite passada não é sinal de que a economia esteja em recessão e sim um movimento para estimular a demanda doméstica e o crescimento. Em discurso no Comitê de Finanças Parlamentar, Fischer disse que, em algum momento, o governo pode precisar aumentar as taxas para prevenir que o déficit do país cresça.

Nesta segunda-feira (24), o BC israelense reduziu a taxa básica pela segunda vez em três meses, para 1,75%, citando a desaceleração da inflação, a fraca demanda doméstica e a expectativa de desaceleração do crescimento.

O índice de preço ao consumidor caiu 0,5% em novembro, colocando a inflação anual em 1,4%, abaixo da mediana da meta, que fica de 1% a 3%. A inflação anual em outubro foi de 1,8%. Também nesta segunda, o BC de Israel estimou que a economia irá crescer 3,8% em 2013. As informações são da Dow Jones.

Carregando...