Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.410,87
    -106,21 (-0,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

BC francês corta perspectiva de crescimento e vê inflação mais alta

Vendedor de livros em Paris

PARIS (Reuters) - A economia da França vai desacelerar mais do que o esperado neste ano devido ao atual choque de preços de energia, enquanto a inflação ficará acima do estimado anteriormente, disse o banco central do país nesta terça-feira.

A segunda maior economia da zona do euro deve crescer 2,3% em 2022, antes de desacelerar a alta para 1,2% em 2023 e depois subir 1,7% em 2024, à medida que o impacto da crise diminui, disse o Banco da França em relatório de perspectivas trimestrais.

A crise na Ucrânia e o aumento nos preços de energia levaram a uma perspectiva mais sombria e incerta desde as últimas previsões do banco central, de março, quando esperava-se crescimento de 3,4% neste ano, 2,0% em 2023 e 1,4% em 2024.

O banco central estimou que as consequências da guerra na Ucrânia custarão à economia da França o equivalente a 2 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB) entre 2022 e 2024.

O banco central previu que a inflação francesa ficará numa média de 5,6% neste ano, antes de desacelerar para 3,4% em 2023 e para um pouco abaixo da meta de 2% do Banco Central Europeu (BCE) em 2024.

Em março, a instituição projetava inflação de 3,7% neste ano, 1,9% em 2023 e 1,7% em 2024.

(Por Leigh Thomas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos