Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.236,44
    -95,33 (-0,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

BC da Turquia mantém juros em 14% apesar da disparada da inflação

Sede do BC da Turquia em Ancara, Turquia

ISTAMBUL (Reuters) - O banco central da Turquia manteve nesta quinta-feira a taxa de juros em 14% pelo quinto mês seguido como esperado, mesmo com a expectativa de que a inflação ultrapasse 70% diante de novas perdas da lira.

O banco defendeu sua decisão dizendo que espera que um processo de desinflação comece, citando efeitos de base e o esperado fim do conflito entre Rússia e Ucrânia, entre outros fatores.

"O Comitê espera que o processo de desinflação comece diante de medidas reforçadas para estabilidade sustentável dos preços e financeira", disse o banco em seu comunicado após a reunião de política monetária.

Em abril, a inflação anual da Turquia saltou para uma máxima em duas décadas de 69,97%, alimentada pela desvalorização da lira no ano passado devido a uma série de cortes de juros não ortodoxos e pelo aumento dos preços das commodities após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

"O aumento da inflação é impulsionado pelos custos crescentes de energia resultantes de desdobramentos geopolíticos e efeitos temporários de formações de preços que não são apoiados por fundamentos econômicos", disse o banco.

O banco central havia reduzido os juros em 500 pontos-base no final do ano passado em meio ao aumento da inflação, movimento não ortodoxo defendido há tempos pelo presidente, Tayyip Erdogan.

(Reportagem de Ezgi Erkoyun e Daren Butler)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos