Mercado abrirá em 8 h 28 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,11
    -0,04 (-0,06%)
     
  • OURO

    1.739,00
    +2,70 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    63.424,21
    -245,44 (-0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.382,80
    +7,02 (+0,51%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.623,90
    -276,93 (-0,96%)
     
  • NIKKEI

    29.650,89
    +29,90 (+0,10%)
     
  • NASDAQ

    13.813,50
    +14,75 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7693
    -0,0036 (-0,05%)
     

BC da Turquia eleva juros mais do que o esperado, a 19%

·1 minuto de leitura
Presidente do BC da Turquia, Naci Agbal

ISTAMBUL (Reuters) - O banco central da Turquia aumentou nesta quinta-feira sua taxa básica de juros mais do que o esperado em 200 pontos-base, para 19%, para lidar com a desvalorização da lira e o aumento dos preços, o que foi visto como um teste de credibilidade devido à oposição do presidente Tayyip Erdogan a uma política monetária apertada.

Em uma pesquisa da Reuters, quase todos os 21 economistas consultados esperavam um aumento de 100 pontos-base nos juros. A lira respondeu com um salto de 2,0% em relação ao dólar.

A principal taxa de recompra de uma semana estava em 17% desde dezembro, após um aperto monetário agressivo no ano passado. Esse é o nível de juros mais alto de qualquer economia avançada, de volta a patamares alcançados pela última vez em meados de 2019.

As expectativas do mercado de um aumento dispararam após a lira perder até 10% desde meados de fevereiro, refletindo o aumento dos rendimentos dos títulos norte-americanos. A inflação também subiu mais do que o esperado para quase 16% no mês passado, bem acima da meta de 5%.

O banco central já apertou a política monetária em 875 pontos-base desde que Erdogan nomeou o presidente Naci Agbal para liderar a instituição, em novembro, quando a lira atingiu uma mínima recorde. A depreciação cambial aumenta a inflação na Turquia, dependente de importações.

Erdogan frequentemente pede custos de empréstimos mais baixos e demitiu abruptamente os dois últimos presidentes do banco central. Mas ele nomeou Agbal como parte de uma surpreendente reformulação da liderança sob a qual ele prometeu uma nova era econômica favorável ao mercado.

(Por Ali Kucukgocmen)