Mercado abrirá em 8 h 59 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,96
    +0,58 (+0,92%)
     
  • OURO

    1.773,90
    +3,30 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    54.803,87
    -2.105,26 (-3,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.229,37
    -69,59 (-5,36%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.092,88
    -13,27 (-0,05%)
     
  • NIKKEI

    29.148,02
    -537,35 (-1,81%)
     
  • NASDAQ

    13.922,75
    +25,50 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6918
    +0,0161 (+0,24%)
     

BC da Turquia diz que aperto monetário é necessário: Fonte

Kerim Karakaya
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A moeda da Turquia ganhou força com os comentários do novo presidente do banco central do país, sinalizando que não pretende se distanciar das políticas inclinadas ao aperto monetário de seu antecessor.

A lira chegou a subir 1,7% em relação ao dólar depois que Sahap Kavcioglu indicou uma postura de política monetária de aperto em seu primeiro discurso para investidores do mercado doméstico na quinta-feira, segundo uma pessoa com conhecimento direto da apresentação.

As instituições e sua continuidade devem ser a base da política monetária no período à frente, disse Kavcioglu na teleconferência. As metas de inflação permanecem intactas, e as expectativas de preços mais altos exigem um aperto da política monetária, disse o presidente do banco central, de acordo com a fonte, que falou sob condição de anonimato.

Ele também enfatizou o compromisso com a meta de inflação de 5%, acrescentando que a instituição está determinada a restabelecer a credibilidade da lira turca.

Investidores estrangeiros venderam US$ 1,9 bilhão em ativos turcos na semana passada, a maior saída em 15 anos, após o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, tirar Naci Agbal do comando do banco central de forma inesperada dias depois de elevar os juros acima do esperado.

A medida gerou temores de uma reversão para um cenário de afrouxamento da política monetária, que abalou a confiança nos ativos do país por anos. A demissão contribuiu para a queda de 11% da lira na semana passada, empurrando a moeda para perto de uma mínima histórica. O rendimento dos títulos do governo de 10 anos subiu para um recorde de 467 pontos-base.

Em respostas por escrito à Bloomberg após sua nomeação, Kavcioglu disse que os mercados não deveriam dar o corte dos juros como certo na reunião do Comitê de Política Monetária de 15 de abril. A principal taxa de recompra de uma semana da Turquia foi elevada em 200 pontos-base, para 19% em 18 de março, dia da última reunião de Agbal no comando do banco central.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.