Mercado fechado

BC da Rússia mantém taxa de juros em 4,25% ao ano, mas sugere novos cortes

Roberta Costa
·1 minuto de leitura

Nos últimos meses as taxas de crescimento dos preços foram ligeiramente mais altas do que as expectativas oficiais Evgeny GoTown.ru/Pixabay O Banco da Rússia (BC do país) decidiu manter a taxa básica de juros em 4,25% ao ano em reunião finalizada nesta sexta-feira, mas sinalizou que pode voltar a cortá-la como fez em 24 julho, para este, que é seu menor nível histórico. Segundo comunicado da decisão, nos últimos meses as taxas de crescimento dos preços foram ligeiramente mais altas do que as expectativas oficiais, impulsionadas por dois fatores principais: uma recuperação ativa da demanda após o bloqueio pelo novo coronavírus, bem como o enfraquecimento do rublo devido ao aumento geral da volatilidade nos mercados globais e maiores riscos geopolíticos. Ademais, as expectativas de inflação das famílias e empresas permanecem elevadas. Embora o efeito dos fatores pró-inflacionários de curto prazo tenha se fortalecido, os riscos desinflacionários ainda prevalecem no médio prazo, segundo relato do comitê que decide a política monetária. “À medida que o estágio de forte recuperação de crescimento devido ao levantamento de restrições e medidas de apoio é concluído, o ritmo de retorno das economias globais e russa ao seu potencial diminuirá. Isso terá um efeito restritivo sobre as taxas de crescimento dos preços”. De acordo com a previsão do Banco da Rússia, a inflação deve ficar entre 3,7% a 4,2% em 2020, 3,5% a 4,0% em 2021 e se estabilizará perto de 4% a partir daí. Ainda segundo o comunicado, se a situação se desenvolver de acordo com a previsão de base, o Banco da Rússia considerará a necessidade de redução adicional da taxa básica em suas próximas reuniões.