Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.057,17
    +8,88 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

BC da China diz que não vai se precipitar com mudanças na política monetária

·1 minuto de leitura
Sede do BC da China
Sede do BC da China

PEQUIM (Reuters) - O banco central da China vai avaliar mudanças na política monetária conforme a economia se recupera, mas não fará movimentos precipitados e qualquer mudança será baseada em avaliações econômicas precisas, disse nesta sexta-feira um vice-presidente do Banco do Povo da China.

Liu Guoqiang afirmou que a recuperação econômica da China está sólida devido ao efetivo controle do coronavírus pelo país e medidas para sustentar o crescimento.

"Devemos também avaliar o próximo passo de política monetária. Os ajustes devem ser baseados em avaliações precisas da situação econômica e não podemos fazer movimentos precipitados", disse Liu em entrevista.

Para sustentar a economia, as instituições financeiras da China abriram mão de até 1,25 trilhão de iuanes (188,65 bilhões de dólares) em lucros entre janeiro e outubro --ao reduzir taxas de juros e tarifas -- e caminham para chegar a uma meta esperada de 1,5 trilhão de iuanes este ano, disse Liu.

Sun Guofeng, diretor de política monetária do banco central, afirmou na mesma entrevista que a taxa de juros atual da China é apropriada e que a política monetária será mais flexível.

O Banco do Povo da China adotou medidas desde fevereiro, incluindo cortes nas taxas de empréstimo, no compulsório de bancos e suporte direcionado para empresas afetadas pelo vírus como empréstimos baratos.

(Reportagem de Kevin Yao e Lusha Zhang)