Mercado fechará em 4 mins

BC corta Selic a 3,75% para tentar conter dano econômico de coronavírus

LARISSA GARCIA
Brazilian money. A lot of new real notes.

O avanço da crise econômica gerada pelo novo coronavírus fez o Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central, cortar os a taxa Selic a 3,75% ao ano.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O corte de 0,50 ponto percentual era o esperado pelo mercado, segundo a Bloomberg, ainda que nos últimos dias tivesse crescido a pressão por redução mais drástica.

Leia também

As expectativas para a queda da Selic se consolidaram no início do mês, quando o BC divulgou uma nota afirmando que, com o avanço do Covid-19 pelo mundo, estava monitorando atentamente a pandemia.

A autarquia indicou que a taxa básica de juros deveria permanecer em queda. Na reunião anterior (fevereiro), quando o comitê cortou a taxa em 0,25 ponto percentual, a autoridade monetária havia anunciado que não haveria mais cortes. O juro estava em 4,25% ao ano.

Ao longo da semana, a autoridade monetária sofreu forte pressão para intensificar a queda da Selic. Depois que o Fed (Federal Reserve) anunciou, no domingo (15), corte na taxa de juros norte-americana em reunião extraordinária, que ficou entre de 0% e 0,25%, aumentaram as expectativas para que o comitê intensificasse o corte na taxa Selic.

Desde dezembro de 2017, os juros renovam as mínimas históricas.

Os analistas reduziram as expectativas para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de 2020 nesta semana, que passou de 1,99% para 1,68%, de acordo com o relatório Focus do Banco Central. A projeção para o dólar no fechamento do ano aumentou de R$ 4,20 para R$ 4,35. A previsão para a inflação também caiu de 3,20% para 3,10%.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.