Mercado fechará em 6 h 39 min
  • BOVESPA

    98.327,29
    -214,66 (-0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.524,45
    -537,16 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,68
    +2,92 (+2,76%)
     
  • OURO

    1.793,50
    -13,80 (-0,76%)
     
  • BTC-USD

    19.328,55
    +129,45 (+0,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    415,38
    -16,08 (-3,73%)
     
  • S&P500

    3.785,38
    -33,45 (-0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.775,43
    -253,88 (-0,82%)
     
  • FTSE

    7.166,17
    -3,11 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.503,50
    -26,00 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5386
    +0,0330 (+0,60%)
     

BC britânico enfrenta teste histórico, mas não é culpado pela inflação, diz presidente

Andrew Bailey, presidente do banco central britânico

Por David Milliken e Farouq Suleiman

LONDRES (Reuters) - O presidente do banco central britânico, Andrew Bailey, afirmou nesta segunda-feira que o atual aumento da inflação é o maior desafio do Banco da Inglaterra desde que conquistou sua independência em 1997, mas que não poderia ter feito nada para deter o avanço dos preços.

"Devo enfatizar que --obviamente-- não me sinto nada feliz com isso", disse Bailey ao Comitê do Tesouro na câmara baixa do parlamento britânico. "Esta é uma situação ruim para se estar."

Bailey foi alvo de críticas por parte de alguns parlamentares do Partido Conservador, que está sentindo a pressão da crise do custo de vida.

A taxa de inflação ao consumidor do Reino Unido atingiu 7,0% em março e economistas consultados pela Reuters esperam que ela salte para 9,1%, pico desde 1982, quando os dados de abril forem publicados na quarta-feira.

Questionado se o Banco da Inglaterra poderia ter feito algo de diferente, Bailey afirmou: "Não acho que poderíamos. Não acho que poderíamos prever uma guerra na Ucrânia. Outro fator com o qual lidamos no momento é mais uma etapa da Covid-19, que afeta a China".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos